segunda-feira, março 06, 2006

A publicidade e os dias de hoje


(imagem CMP)

Ontem, quando pretendia sair de casa, de carro, com a minha mulher e a minha filha, fui impedido de o fazer, pela PSP (nem questiono aqui qual o custo destaa operação policial).

Tive que aguentar cerca de meia-hora (porque, felizmente, não tinha tentado sair mais cedo) que acabasse de passar à minha porta uma ridícula iniciativa publicitária de um estabelecimento comercial de artigos de desporto, que, para publicitar a sua marca, conseguiu congregar o esforço e a boa vontade de cerca de 5.000 senhoras, dois presidentes de câmara, um(a) governador(a) civil e respectivas autoridades, para além do presidente da LPCC.
Estive quase para incluir os jornais (da cidade e não só) e algumas “celebridades” mas lembrei-me a tempo que esses (jornais) e essas (“celebridades”) subsistem graças a estes (e outros) promotores publicitários.

Então foi assim, a pretexto de uma pretensamente meritória iniciativa (angariar fundos para a LPCC) foram encerradas ao trânsito diversos arruamentos das cidades do Porto e de Matosinhos, para que cerca de 5.000 senhoras se exibissem envergando um T-.Shirt de cor rosa parolo de propaganda ao (não) referido estabelecimento comercial.

Como moeda de troca, o (não) referido estabelecimento comercial comprometia-se a oferecer o valor de 2€ por participante à referida LPCC pelo que a iniciativa terá ficado por uns modestos 10.000 €.

Considerando a cobertura obtida, quer nos jornais quer nas TVs, a presença das tais “celebridades” que iam desde apresentadoras de TV, a esposas de futebolistas e presidentes de câmara, não esquecendo até a leitura de uma mensagem da actual «primeira-dama», pode-se dizer que publicidade assim é quase de borla.

É evidente que ninguém (nem o tal presidente da LPCC) se lembrou de informar as senhoras que podiam efectuar a esmola dos mesmos 2 € (muito inferior ao que se paga a qualquer mulher a dias por tempo equivalente), directamente à LPCC, ficando assim dispensadas daquela canseira.

É evidente também que, para quem acha que o estado já faz demais pela nossa saúde que, sendo um bem como qualquer outro, quem a quiser que a pague, estas fingidas “caridadesinhas” até estão muito bem e, quem sabe se não é a oportunidade de conhecer algum famoso…

Termino com o pedido recorrente (mas nunca atendido)

Tenham vergonha
António Moreira

9 comentários:

Incoerente disse...

Em Vigo já assisti a uma situação semelhante para o cancro da mama, não sei se era uma casa de desporto a promover a iniciativa, mas os participantes faziam uma investida pelas ruas e por cada inscrito revertia uma verba para a liga , devo dizer ke achei a iniciativa de louvar

O ajuntamento de tantas pessoas pela mesma causa sensibilizou-me, para alem de ke chamava a atenção dos que participavam, dos que passeavam e dos que circulavam para a causa em kestão

Não vi a do Porto , mas se tivesse tido conhecimento ao circular nessa ruas, como kalkuer bom cidadão, teria deixado o carro para seguir com a manifestação !

Mas o Moreira tem pouca sensibilidade para estas coisas, deve ser dakeles que se poem a acenar e a gritar tentando com o carro forçar a multidão...

Insensivel ...

AM disse...

A Inkoerente pode sempre enviar 3€ (são mais 50% pelo atraso) para o Dr. Vitor Veloso.

A LPCC ganhava mais do que se a Inkoerente tivesse andado a infernizar a vida dos seus concidadãos que tem coisas mais importantes para fazer do que ver dondocas a sacudir as banhas e a fazer propaganda a estabelecimentos comerciais à custa de todos os contribuintes.

É mais do que evidente que os custos (e apenas os directos) da operação (nomeadamente os custos policiais) foram muito superiores ao valor arrecadado pela LPCC (pouco acima dos 10.000 €).

O resto é apenas o costume:

PROPAGANDA E DEMAGOGIA.

AMNM

Anónima disse...

Eu conheço bem o Vitor Veloso. Qundo ainda tinha pachorra para dar festas, ele vinha sempre. Afinal somos vizinhos. É só atravessar a rua. Nunca percebi aquela cena da demissão dele. Convidaram-nos a participar no jantar de desagravo, mas nós escusámo-nos polidamente. Se tiver dados publique. Como sabe quer o meu amigo, quer eu não nos interessamos pela vida privada e só pela pública. Não era preciso dizer, pois não?

Incoerente disse...

essas dos policias faz me lembrar há uns anos o finório do Padre Antonio em tras dos montes em mês de emigrantes:

- A comunidade tem ke ser solidaria com este Homem nóssu irmão que morreu hoje ardido no Palheiro dos Conde, pedimos a todos uma modesta contribuição para o pagamento da missa do funeral que se realizará daqui a dois dias.

Na altura lá cravei 1000 escuditos à minha avó ... e lá dei 100 paus po funeral , afinal isto da solidariedade é para todos, acho que ainda cravei o meu avô
mas desse não pus nada no prato

Ai agora estou com remorsos e ainda por cima o padre Antonio morreu no outro dia e eu nunca cheguei a saber se ele juntou 20 contos pa rezar a missa ao Homem ou se o teve ke fazer de graça

A juventude é uma lastima

AM disse...

Querida anónima :)

Também nunca percebi aquela cena da demissão dele do IPO, mas tudo o que meta «caridades» e senhoras baixinhas com permanentes muito armadas põe-me logo de pé atráz...

Nada mais sei de Vitor Veloso senão que confio nele, ao menos enquanto médico, pois até já precisamos uma vez dele e a coisa passou bem perto...

Já agora, começa a perceber a razão para a "outra senhora" (que não é a do tempo) usar o nick "incoerente"?

Obrigado por continuar por aqui :)

AMNM

Anónima disse...

Caro Amnm,
Eu sou baixinha, sem permanente e a dita senhora veste onde eu visto o mesmo número que eu. Basta-me descer o elevador, abrir a porta da rua e entrar na do lado. Pois é o mundo é pequeno e sou amiga dos Roseiras, mas não fã. O Vitor Veloso é um médico excepcional. Eu falava do administrador.
O último parágrafo passou-me ao lado. Tem de me explicar, como se eu fosse muito burra...
O abraço de sempre

Incoerente disse...

Ora agora sim, o Sede no caminho da TV7 dias

estou a adorar esta nova fase, por acaso não conhecem o chefe das finanças do 5ª bairro?!

AM disse...

Cara Anónima

Não admira que esta coisa dos "blogs" acabe por "expulsar" os melhores.

Não há pachorra para isto.
AMNM

Anónimo disse...

Faça como eu. Até aqui usava a ironia risonha e leve. Agora atiro a matar. Nunca me tinha imaginado a fazer isto. É a vida!