segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Caricatura!! ...de quê?




Muito bem tratada a questão das caricaturas, AQUI!
Mas o que eu gostei mesmo foi de ouvir um senhor na TSF a dizer:
- Não devemoje confundir a repregentachão do chagrado com o chagrado em chi mêsgemo! O chagrado prechija da chátira!
P.S. É Pá! Eu nunca me lembraria docolocar aqui uma caricatura de Maomé se não fossem as manifestações eos atentados.

6 comentários:

Antonio Almeida Felizes disse...

..
Caro Fortuna,

Aproveito esta oportunidade para deixar aqui o meu entendimento sobre esta problemática.

É certo que as potências ocidentais não se orientam politicamente segundo os parâmetros da Bíblia, da fé cristã, dos ensinamentos de Jesus, mas, mesmo assim, elas acabam por se contrapor, culturalmente, aos países muçulmanos, muitos dos quais se pautam pelo Corão, pela fé islâmica, pelos ensinamentos de Maomé. que, é sempre bom lembrar, são uma minoria entre os muçulmanos.

Hoje, as potências ocidentais encontram-se no auge do poder. Os Estados Unidos, com sua incomparável pujança económica, seu formidável poderio militar e a sua vigorosa influência política e cultural sobre os destinos do mundo, representam o triunfo dos valores ocidentais - pelo menos aos olhos dos fundamentalistas islâmicos,

"O choque de civilizações será a linha divisória das batalhas do futuro." (Huntington) - Nem todos os estudiosos do assunto concordam com esta tese, mas não podemos negar que, num mundo cada vez menor, cada vez mais próximo, a religião também funciona como um instrumento de afirmação da identidade nacional. E a globalização crescente é um processo que se desenrola sob o comando inequívoco do mundo ocidental - em especial, do império americano.

Cumprimentos,

Antonio Felizes
http://regioes.blogspot.com
..

Incoerente disse...

Descance amigo Fortuna
a propria blogoesfera só percebeu de kem era a caricatura, depois das manifestações

e esse facto é totalmente desculpavel, na medida em ke até os Ayy-a-Tola levaram meses a reconhecer a figura -

de facto podemos estar perante um rastilho europeu ke mais não visa ke a expulsão ou a explusão justificada dos emigrantes , assim eles reajam ...

de kalker forma o ke importa discutir é a posição de W. Bush em relação a esta materia ... é ... isso é capaz de ser o mais importante

incoerente disse...

afinal kal é a relegião dos Americanos?! e a nossa ao fim de todo este tempo ?!

A relegião é um coisa privada, não se combate em nome de nenhuma relegião - a relegião já não é valor material é uma ideologia e as ideias não se combatem -discutem-se

( mais o menos como o futebol , só ke com mais fanaticos)

se uns gritam outros acenam bandeiras, normal , uns fazem desenhos outros manifestações - kal é o mal disto?

só mesmo o Bush

fortuna disse...

Amiga incoerente

Há um exercicio que gosto sempre de fazer nas mais variadas situações da vida, que faço frequentemente e há muitos anos; ver as coisas ao contrário.
Recentemente um qualquer publicitário resumiu a coisa muito melhor do que eu com a celebre frase "try another angle!"
Pois bem, se eu fosse um cidadão europeu, nascido e criado no mundo ocidental e na sua magnifica civilização, faria a seguinte pergunta: - e se fosse ao contrário, isto é, se um qualquer meio de comunicação muçulmano tivesse publicado uma qualquer blasfémia a respeito das crenças e valores ocidentais? Podemos seguramente imaginar que nada disto estaria a acontecer e o mais provavel era que nunca ninguem viesse a saber.
Pois muito bem, e se eu fosse um homem de esquerda convicto de muitos ideais progressistas, optimista em relação ao papel do homem no mundo, tolerante para com os meus semelhantes, solidário, adepto fervoroso da pedagogia enquanto instrumento da elevação dos povos, conhecendo os limites éticos da liberdade de cada um (e não confundindo isso com o VALOR liberdade)? Poderia permitir-me a mim próprio a inibição de uma manifestação de liberdade deste tipo, por respeito a outros e comprovando a "superioridade moral" da minha civilização. Actitude que muitos afirmam ser a mais correcta e que melhor contribuirá para o entendimento entre os povos?
Será que sou quem sei?
Ora, batatinhas...

fortuna disse...

É claro que as batatinhas nada tem que ver com os seus comentários, amiga incoerente.
Tem a ver com toda esta situação.
Tem a ver com a discussão elevada que sempre tendemos a manter quando sabemos perfeitamente que estes acontecimentos são apenas pretextos para outras tentativas.
Mas pretextos que acabam por ter custos elevados e poderão vir a tornar--se aindamais graves.

Incorente disse...

«Poderia permitir-me a mim próprio a inibição de uma manifestação de liberdade deste tipo, por respeito a outros e comprovando a "superioridade moral" da minha civilização»

essa vou guardar , assim dito soa muito bem

se houvesse um tsunami, ou outro fenomeno kalker, ninguem tinha ligado à caricatura ,

o ke é certo é ke a Europa tem ke arranjar uma solução- talvez o corte nos apoios sociais pudesse alterar alguma coisa , não sei...