terça-feira, fevereiro 14, 2006

Operação Pública de Aniquilação

Esta OPA sobre a PT está a demonstrar aquilo que os nossos luso-liberais prefeririam esconder, mas não há maneira.

A Optimus parece atravessar uma fase menos boa.


Quer isto dizer que Belmiro de Azevedo, como empresário que é, se fez ao mercado das telecomunicações móveis terrestres e não venceu. Foi sempre o terceiro operador, com uma cota reduzida de mercado, apesar de toda a agressividade colocada no marketing.

Belmiro lança uma OPA sobre a PT financiada pelo Santander para, entre outras coisas controlar a TMN.

Quer isto de dizer que os lucros das telecomunicações móveis terrestres é muito apetecivel e que, portanto, tambem o é para Belmiro, que tendo falhado os mecanismos mais correntes do conquista de mercado, vai tentar apoderar-se da maior cota por outras vias.


Belmiro terá encargos financeiros transcendentais caso a operação se concretize. O Santander não empresta de borla.

Quer isto dizer que Belmiro terá que pagar ao Santader o custo da PT que é aproximadamente cinco vezes mais do que o valor da SONAE e portanto, asfixiante.

Belmiro põe a hipótese de proceder a reestruturações e alienar parte dos activos que pretende adquirir, mas nunca a TMN.


Quer isto dizer que um dos principais objectivos de Belmiro com esta OPA é ficar com a TMN e com a maior cota do mercado das telecomunicações moveis terrestres. Isto é, conseguir por meios travessos aquilo que o mercado, em sã concorrência aberta não lhe quis dar. O mercado liberalizado não funcionou.
Belmiro não se resigna a ficar sem a Optimus e muito menos sem a TMN.

Quer isto dizer que vai ganhar na secretaria o que não ganhou dentro do campo. Quer mesmo o mercado de telecomunicações moveis terrestres a qualquer preço.
Futurologia

Portugal é um pais pequeno e as elites são todas muito próximas, em muitos casos a promiscuidade ética é gritante.

Quer isto dizer que um empresário com uma cota do mercado das telecomunicações moveis terrestres equivalente à Optimus e TMN juntas é alguém muito poderoso junto de qualquer governo de um pais pequeno com elites reduzidas e próximas.


A empresa que resultará da fusão da Optimus e TMN e que pertence a um grupo que domina também alguns meios de comunicação reivindicará permanentemente a partir de então que Portugal é um pais pequeno e que não há espaço para mais que dois operadores de telecomunicações móveis terrestres.

Quer isto dizer que essa empresa fará tudo o que estiver ao seu alcance para que o Estado, sobre quem tem tanto poder, adopte medidas razoavelmente proteccionistas para o mercado das telecomunicações móveis terrestres, nomeadamente não atribuindo mais licenças. A própria empresa se encarregará do resto…


Resumindo:

Liberalismo, em Portugal, quer dizer isto; criar condições para que os mais poderosos, sempre os mesmos, sejam ainda mais poderosos, em desfavor de todos os outros.

26 comentários:

Pedro Aroso disse...

Fortuna:

O Marxismo pertence ao século XIX. Nós já estamos no século XXI.
O Dr. Mário Soares compreendeu isso e os comunistas mais instruídos também.
Pelos vistos, há socialistas a precisarem de um "update"...

Pedro Aroso

fortuna disse...

O amigo e colega Pedro Aroso continua a fazer legos...

Arrebenta disse...

Evocação da Imperatriz Farah Diba Pahlavi
(a propósito do aniversário da monstruosa praga da Revolução Islâmica)

De cada vez que ela se deslocava de Teerão, para visitar as Vanguardas, em Nova Iorque, havia 100 000 marias cavaco silva que se deitavam no chão, para evitar que ela empoeirasse os sapatos de salto, ao descer do avião.
Eras.

http://braganza-mothers.blogspot.com

Incoerente disse...

neste caso um novo dialer

amigo Fortuna

leio os seus comentarios e embora em termos practicos (financeiros) discorde de alguns deles, o certo é ke a sua emoção , o credito que põem no povo, nas mudanças e a força com ke defende tudo isso - fazem de si um socialista

( não é a logica do la Palisse , ´refiro-me a socialista de ideologia, de essencia, não de sigla )

Kanto à OPA para mim é um balão colorido a voar junto à estratoesfera ... não percebo nada,

suponho ke se trate de uma união para termos Internet illimitada + Télévisão numerica+chamadas gratis no territorio nacional + preços em condições para as chamadas moveis... não é?!

fortuna disse...

É, amiga incoerente, é exactamente isso. Vai passar a ser tudo quase de borla para todos. Excepção para os almoços que, como se sabe, já são completamente grátis.

Anónimo disse...

Daniel,

Estás a ser precipitado nas conclusões.

Entre outras, há uma autoridade de concorrência que tem que se pronunciar sobre a operação e que a pode pura e simplesmente chumbar ou condicionar.

Há, já hoje, uma situação gritante de falta de concorrência no serviço fixo e no cabo (o que inlcui telef, tv e internet) pela dimensão do maior operador (que, em teoria, já é privado). Somo os país da Europa onde estes serviços são mais caros.

Logo, tens que olhar para o panorama todo e não acho que devas, à partida, concluir que o que daqui resultar será em desfavor de todos os outros.

A não ser que admitas já que autoridades da concorência, anacons e governo vão a reboque do interesse dos tais poderosos. Nesse caso, nada a fazer.

Eu próprio tenho muitas dúvidas sobre se uma fusão Tmn/Optimus não é prejudicial para os consumidores. Mas, ainda é cedo para ser tão pesimista.

Por fim, uma Opa, ou a compra de empresas no mercado, é uma forma perfeitamente natural de crescer e não tem nada de negativo como resulta das tuas primeiras linhas. Desde que salvaguardadas as regras em que isso deve ser feito, nomeadamente os efeitos sobre a concorrência.

Abraço.
JF

Incoerente disse...

como já disse , posso estar a cometer grande erro,

mas o meu racocinio tinha alguma logica - os 3 operadores juntos podiam de facto prestar um serviço 3 em 1, muito mais barato para o consumidor -
ate porke se não o fizerem outros privados o farão , acho ke é inevitavel

por exemplo a ONI pode unir-se á equant , como a oni já presta serviço net/telefone a preço competitivos , ao desenvolver com a equant uma serie de serviços já em uso noutros paises, a PT no minimo vai à falencia...

ou a PT terá defesas para isso , defesas estas ke prejudicam o consumidor

Incoerente disse...

naõ sei se a ONI é o melhor exemplo, uma vez ke julgo pertencer à EDP ... mas como a ONI outra kalker

fortuna disse...

João

Nada tenho contra as OPAS e nada me move contra o mercado.
Simplesmente acredito no mercado regulado e não completamente liberalizado como defendem muitos dos nossos amigos.
MAs, como aqui já tenho dito, o que verifico é que em economias de maior escala do que a nossa isso vai acontecendo, nas pequenas não. Porque quando o Estado aliena algumas das suas funções, digamos mais tradicionais (umas mais conservadoras outras mais socialistas, como preferires, porque aqui os estremos tocam-se mesmo)não se verifica uma substituição do estado por entidades a operar em concorrencia "sã", e sim super entidades, quase tão poderosas como o próprio estado, que com este mantem relações de elevada promiscuidade e que tendem a fechar (aniquilar) o mercado.
A mesmissima actividade deixa de produzir resultados em favor de todos (sejam negativos ou positivos). Mas tambem não passa asustentar um grupo alargado de cidadãos que a ela se poderia dedicar e daria corpo à chamada classe média. Não, produz resultados em favor de uma unica entidade monopolista que primeiro diz que faz o mesmo com metade dos trabalhadores mandando a outra para a rua, depois restringe o serviço à sua parte mais lucrativa e finalmente encarece-o a seu gosto.
Resumindo, perde-se sempre. Perde-se no serviço e nos efeitos na economia.
Quanto à autoridade para a concorrencia, oxalá eu estaja enganado e ela se pronuncie contra e a seu parecer vincule o governo.

fortuna disse...

Minha amiga incoerente.
Para que a concorrencia produza beneficios para o consumidor é preciso que seja mesmo muito sã.
O que normalmente acontece á que o serviço é pior e mais caro. Melhor e mais barato ainda não vi. Nos melhores casos ou é mais barato ou é melhor (vodafone, por exemplo), mas nunca as duas coisas juntas.
Começo mesmo a achar que estamos perante um utopia.

Incoerente disse...

tbm axo ke se trata de um embuste kalker...

agora no seu post tem 2 grandes verdades ke os comentadores habituais tem evitado
- a optimus é um fracasso nas telecomunicações moveis -ex: não tem cobertura em varios pontos do pais; começou muito bem mas não tem pedalada nem seker pa TMN

- ate no telefone fixo , ultimo investimento, a optimus falhou a bom falhar

é estranho ke ninguem tenha posto a competencia de Belmiro em causa...

Anónimo disse...

Daniel,
Não falo pelos nossos amigos "blasfemos" porque não tenho qq mandato. Mas olha que, pelo menos em teoria, um liberal é o primeiro a defender regras para que o mercado funcione de uma forma salutar. Ainda em teoria, o grande argumento em favor de uma posição liberal, é o benefício que decorre do ambiente de concorrência, tanto em termos de preço como de qualidadem, inovação, etc etc. O que, sempre em teoria, não acontecerá com a mesma facilidade num ambiente não concorrencial.
O problema por cá é precisamente o que tu tocas. Mas a "culpa" não é de quem defende uma economia (ou sociedade, porque isto vai para além da economia) mais liberal. É de quem faz com que isto seja o que é: uma panela de interesses - económicos, corporativos, partidários, ... - em que uma boa parte deles tem uma real capacidade de influenciar quem manda. Logo, temos um ambiente nada liberal, antes sujeito a quem pode mais.
JF

Anónimo disse...

Cara Inkoerente,
Desculpe mas dizer que a Optimus é um fracasso e por em causa a competência do Belmiro é um disparate completo.
Repare que, num mercado de 3 operadores, ter 18% de quota não é mau (nos fixos não há niguém nem perto disso). Se vamos pelo seu reciocínio, então haveria sempre um operador (o que estivesse em 3º no ranking) que seria um fracasso... Não é assim que a coisa se mede. Eu sou um fiel da Vodafone desed sempre mas note que entrar num mercado onde está o maior player de móveis do Mundo e outro que tem o momopólio da rede fixa não é pera doce...
E partir daí para por em causa a competência do Belmiro é um disparate ainda maior. Reconheço que o personagem não prima por cativar a simpatia do grande público mas, mobjectivamente, ninguém em Portuigal fez nada sequer parecuido com o que ele fez. E os rseultados estão à vista de todos.
Finalmente, a melhor demosntração de que nem a Optimus é um fracasso nem o Belmiro é um incompetetmet, está no factr de um dos maiores bancos do Mundo estar disponível para lhe emprestar 11.000.000.000,00 de euros (conte os zeros). E acredite que eles não emprestam a quem acham que não vai conseguir pagar...
Cumprimtos.
JF

Anónimo disse...

pois nesta materia meto agua, não tenho mesmo conhecimentos e agradeço todas as correções ke me possam fazer e até a boa vontade que tem de me responder, vou só justificar e depois continuem com o V. racocinio ke assim eu aprendo umas coisas pa depois debater lá em casa

tava a dizer ke a optimus é um fracasso por isto, e não se riam faz favor , já fui cliente das 3 - a optimus tem antenas pessimas, serio não tenho rede à saida de Braga, de Braga até Vieira em viagem não tenho rede, em alguns pontos em Viana, não tenho rede em tras dos montes, não tenho rede na Regua, não tenho rede nos tuneis, nos parkes ... tenho um serviço pessimo kando comparado com as outras 2.... (isto não é suficiente eu sei, mas a optimus é pessima, pior ke a Tv cabo, até gosto da postura do Sr. Belmiro , mas acho ke falhou na optimus )

kanto ao emprestimo, não se admire há muita gente endividada ke nunca teve dinheiro para pagar, o Belmiro se tivesse problemas vendia uma das adquiridas e já pagava ...

fortuna disse...

éh lá! Tanta coisa.

João, estás absolutamnte certo. Quer dizer, nem tanto, vamos por partes.
em primeiro lugar eu nada tenho contra os liberais na essencia, aqules do designado liberalismo histórico. Se bem te lembras está ai a génese da esquerda e eu considero-me inequivocamente de esquerda. Estamos a falar de valores liberais e do afronta aos detentores de privilegios, asfixiantes para as demais classes.
Sou liberal em relação a muitas coisas (não todas, claro) e até confesso que aqueles questionários que andam por ai com 100 perguntas diversificadas me colocam sempre como um liberal de esquerda, assim tipo aquele rapaz que era PM do canadá e de quem não me lembro agora do nome.

Mas há que distinguir as coisas. Quando falamos hoje de liberalismo estamos, em geral a referir o liberalismo económico muito em voga nalgumas correntes americanas e que já deu grandes descalabros no passado, como tu sabes muito melhor do que eu.
O que eu digo é que a tendencia liberalizante actual não serveos mesmos fins doliberalismo histórico e sim os contrários.
O que eu digo é que os conservadores mais atentos já perceberam há muito que o conservadorismo não serve os seus fins económicos. Porque omundo mudou muito e há certos estigmas dificeis de ultrapassar e até de aceitar. Então, o que temos hoje são dois tipos de opinião distinta. Uns são liberais porque nas suas reflexões chegam à conclusão que,até certo ponto, o liberalismo responde melhor aos designios das sociedades contemporaneas. Outros são liberais porque é a unica capa possivel para revestir os seus propósitos conservadores naquilo que o conservadorismo tem de pior, que é não a manutenção de valores mas a manutenção de privilégios e protagonistas. Incluo nestes ultimos aquela figura tenebrosa chamada A. Lobo Xavier. O que distingue uns dos outros é uma linha muito ténue que nenhuns deles faz questão de avivar.

fortuna disse...

Quanto à "panela de interesses", como dizes, tens toda a razão.
O problema é esse, mas então não digam que o mercado vai funcionar, porque não vai. Não é solução. E seoutra prova faltasse, a da Optimus é suficientemente conclusiva. Quer sejamos socialistas ou liberais ou conservadores temos que chegar à mesma conclusão, Belmiro não conquistou o mercado seguindo as regras de mercado e vai manter o seu statos na secretaria.
Quando dizes que se o mercado não fosse desvirtuado ele poderia funcionar, ele poderia funcionar, eu não vejo que não tenham existido condições para isso.
Na minha opinião, de quem não conhece as especificidades das comunicações moveis, julgo que para as coisas funcionarem, deveria ser assim; o estado seria sempre dono da rede e atribuiria licenças aos operadores que poderiam actuar no mercado. Cobraria aos operadores apenas o necessário para a manutenção e melhoria da rede e as licenças seriam tantas quantas a largura de banda permitisse.

fortuna disse...

Quanto à outra questão, o crédito que belmiro tem na banca, convem referir que Belmiro vai pagar parte da divida com os activos que adquirir.
Convem não esquecer que alguns desses activos foram pagos pelos impostos de todos nós, dos nossos pais e dos nossos avós e desbaratados pelos governos como foi o caso da rede fixa da PT no tempo de durão barroso. vendida muito abaixo do valor real quando poucos meses antes tinha impedido a sua venda por valores bem superiores.

Anónimo disse...

Daniel,
Mas os tais activos que foram pagos pelos nossos impostos (enfim, eles próprios também geraram valor ao longo do tempo e auto financiaram-se) já não são nossos: na PT "nós, o povo" :-) já só tenos 500 accções (o que deve ser para aí 0,000001%. Logo o Belmiro não nos vai comprar a nós mas aos actuais accionistas que, nota bem, só vendem se quiserem (ou dito de outra forma, se acharem que o preço é bom).
A rede ser do Estado tem "só" a limitação de provavelmente não acompanhar a inovação tecnológica e limitar muito a oferta de novos serviços. Também não sou especialista nestas coisas mas sei que dado o ritmo de inovação os investimentos nas infraestruturas são brutais. Imagina que se inventava uma nova tecnologia (o que está sempre a acontecer), a Voidafone já a queria lançar mas não podia porque a rede não o permitia e como eles não eram donos não podiam investir. Nota bem que, ao contrário da rede fixa, nos móveis cada qual tratou da sua e pagou-a com o seu dinheiro. Cá por mim nada a obstar a isso e acho que é o que melhor serve o consumidor (ou se quiseres, o povo). Vê o que se paasa no Brasil em que a Vivo (PT+Telefónica) optou pela tecnologia errada (segundo os tais especialistas) e está a perder mercado todos os dias.
JF

Anónimo disse...

Inkoerente,
Não tive qualquer intenção de ser deselegante (nunca com uma senhora!) mas a competência e o sucesso ou insucesso não se podem medir assim. Eu não era de todo capaz de trabalhar na órbita da Sonae (um dia já estive quase...) porque aquilo não é vida mas que é um caso de sucesso, disso não tenho a mais pequena dúvida. Sobretudo se pensarmos que "nasce" aqui em Portugal e, heresia máxima, no Porto.
Cumprimentos amigos.
JF

fortuna disse...

Amigo João

É sempre bom ter-te por aqui em debate. Dás sempre luta e a malta aprende qualquer coisa.
Como é evidente estamos sempre em lados contrários mas vamos conseguido alguns pontos de contacto.
Quanto à PT, insisto e faço leituras instantaneas. A rede fixa foi alienada em 2003 a preço de saldo (perdão, de refugo). É impossivel não ter uma visão sequencial destas coisas, e como sabes eu não sou grande adepto de teorias da conspiração e coisas assim. Mas acho que se percebe quando as circunstancias e os erros acumulados apontam direcções para as coisas e as tornam inevitáveis. O meu ponto eé que nestes processos, nunca fica o povo a ganhar, nem sequer uma parte pequena do povo, sei lá, os comerciantes, ou industriais de qualquer coisa, os quadros em profissões liberais, o pequeno investidor privado, etc. Não, são sempre os dois ou três Belmiros, que passam a apresentar resultados, que ganham massa critica para investir lá fora, mas que em muito pouco contribuem para a qualidade de vida em Portugal. é certo que criam emprego, mas se virmos esse processo de criação de emprego numa optica não instantanea, mais não é do que a destruição de emprego noutros lados, para criação dentro da sonae. Deixo a pergunta? Quantos quadros das sonaes e do sector bancário são filhos de antigos comerciantes e profissionais liberais e quadros técnicos, a cujo rendimento correspondia uma certo dominio do posto de trabalho?
E na sonae? Tu proprio dizes que aquilo não é vida. Como não é vida no Mileniun BCP, e etc.

Que transformação no emprego ocorreu na sociedade nos ultimos anos? Julgo que estamos a camminhar a passos largos para uma enorme classe média baixa.

Relativamente ainda à PT, o estado tem 1,8% das acções.
Relativamente à rede móvel, parece certo que quem não acompanhou os investimentos necessários na tecnologia foi precisamente a optimus. Tanto a TMN como a TELECEL (repara que escrevi TELECEL e não Vodafone) responderam melhor ao mercado.
Mas quem vai ganhar a guerra é precisamente aquele que se portou pior enquanto concorrente no mercado.

Onde eu consigo dar-te razão é no cenário de se conseguir criar um verdadeiro ambiente concorrencial, o que acontece nalguns casos. Ai sim, julgo que é bom para a sociedade. Infelizmente, EM PORTUGAL (digo em Portugal porque noutros sitios, Est. Unidos por exemplo, as coisas funcionam doutra forma) só vejo o mercado liberalizado funcionar em sectores onde os lucros não são t~~ao apeteciveis. As chamadas migalhas.
Abraços

Anónimo disse...

Daniel,
Nós não estamos assim tão longe quanto o teu "socialismo de esquerda" e o meu "liberalismo masi à direita" podem fazer crer.
Separarando as àguas (misturar móveis com fixos não é boa ideia):
- nos móveis eu acho que não há qq vantagem em ter só 2 operadores (TMN/Opt e Vodafone). Ainda me lembro de como era quando eram só 2 e como os preços baixaram com a entrada da Optimus. Mas isto não implica que a Opa deva ser chumbada: pode ser condicionada à venda de um deles (provavelmente a Optimus) ou imediatamente aberta uma licença para outro e redução forçada da quota de mercado do maior (isto é uma situação normal em vários sectores).
- na rede fixa, há claramente uma enorme vantagem para o consumidor (de telef, tv e internet) na separação do cobre (PT) e cabo (Tv Cabo). Até agora não era assim, resultando nos serviços masi caros da Europa (os 3 serviços) e não me lembro que isso te incomodasse...
Quanto à forma como foi vendida a rede fixa, também me pareceu que foi a saldo e às pressas para tapar défice mas,, fora isso (o que é muito!) não vejo vantagem em que esteja na mão do Estado - acho que já não é propriamente uma coisa absolutamente indispensável, sobretudo porque há várias alternativas.
Quando se discute o "interesse nacional" e a ameaça à soberania que pode ser a venda a rede telefónica, ou por ex a Tap, lembro-me que a mesma discussão aconteceu quando se acabou com a marinha mercante do Estado. Algum problema? Nope.
Finalmente, continuas a achar que o Belmiro vai ganhar na secretaria o que não ganhou dentro de campo. Vais ter que admitir que há aí uma indisfarçável antipatia pelo "grande capital" o que sendo compreensível, não te dá razão. O campo inclui a secretaria e comprar (e vender) empresas é um negócio como outro qualquer. Evidentemente que se ele tivess uma quota de 50% com a Optimus não iria comprar a Tmn mas as coisas são mesmo assim.
Sem querer estar sempre a defender o homem, nota pf que a corrida é desigual: há que considerar as externalidades de rede e a forma como isso beneficia os operadores já instalados e a dificuldade do 3º a entrar. Um bom exemplo é o da PlayStation e da X-Box Mas eles sabiam que era assim e não estou a sugerir que devam, por isso, ser compensados. Agora querem cresecer e pagam 11 mil milhões por isso e acho muito bem. Desde que salvaguardada a continuidade de uma salutar concorr~encia.
Se estiveres de acordo, sugiro agora que mudemos de assunto.
(e espero que a Inkoerente não tenha ficado chateada comigo)
JF

fortuna disse...

Amigo João
Como eu dizia, os teus contributos são sempre muito válidos. E, de facto,estou genericamente de acordo excepto no mais importante. Mas isso jánós sabemos. E sim, é verdade que não nutro uma grande simpatia pelo "grande capital" a não ser quando me parece "certinho e direitinho" o que raramente acontece. Dei como exemplo a Telecel, porque contra esse grande capital não tenho nada contra. Foi para o mercado com a TMN já a laborar, ofereceu um bom produto e um bom serviço, até mais caro. Fez a sua campanha de markting muito bem feita, ganhou a sua quota (cota é deformação profissional) e está tudo certo. Nada contra independentemente de ser grande ou pequeno o capital. Mas já chega, tens razão. A não ser que o Moreira ainda venha dizer das suas, mudemos de assunto que eles não faltam.
Abraços
P.S. Esta discussao tambem estava muito interessante num post do blasfémias.

Anónimo disse...

Meu amigo,
Afinal não resisto a meter mais uma colherada: a Telecel tinha por trás o Amorim (o grande capital!!) que acabou por vender tudo à Vodafone (o ainda maior capital!!!) numa operação como a que o Belmiro pretende agora fazer (só que ao contrário).
Pelo que li hoje parece que o sucesso da Opa não está assim tão garantido. Provavelmente pelas piores razões: as forças ocultas começam a mexer-se e acabam por condicionar a decisão política. Espírito santo de orelha, if you know what I mean...
Abre lá um novo tópico que eu ando com vontade de trocar ideias.
Na coisa dos cartoons não vale a pena porque estou 100% do teu lado.
Abraço.
JF

Incoerente disse...

ei esperem tenho algo a dizer sobre a France telecom, só não tenho tido tempo, o tempo tem sido tão escasso ke nem dá pa mandar bitaites ao Moreira ,

muito rapido - a clix pensa instalar ate ao fim do ano um serviço tipo France telecom

a france telecom tem ao serviço dos seus clientes - net+phone c/ gratis para os numeros fixos em frança+ 70 canais numericos - tudo por 30 euros

com mais 5 euros mes é possivel ligar gratis para todos os nº fixos em Portugal

se o Belmiro conseguir anula Clix, oni e outros, mas so consegue com a France telecom

ate já , tou sem tempo

Incorente disse...

explicando

A Clix pertence à Novis, certo? A Novis pertence à Sonae , certo?

A Novis tem já acordos com a France Telecom, acordos ke lhe permitem serviços pioneiros, o ke é certo é ke continuam na franja do mercado

Ora se Belmiro adquirir a PT e a TMN , os acordos com a France Telecom permitirão a Portugal um serviço bom, barato e pioneiro , certo?

Ora eu pagarei menos , certo?
Terei o dobro da banda , o dobro de serviços e metade do custo, certo?

os portugueses em geral terão mais poder de compra , uns 25 euritos a mais ao fim do mes, certo?

Se continuar tudo igual é mau, muito mau, para as comunicações, para o xoke tecnologico, para a circulação da informação e o acesso a esta , ou não?

Incoerente disse...

mais uma coisa amigo Fortuna,

prevendo ke a PT entra em decadencia a oferta paga alguns anos de lucro , alem de ke o país fica practicamente rico,
baixava o defice, paga parte do tgv , não vejo kal é o prejuizo?

o ke é preciso é verificar se o Belmiro tem dinheiro para pagar
e se tem capacidade de por as comunicações a pagarem milhares de impostos ao estado

o facto de existirem poucos Belmiros não é problema, tambem há poucos Bill Gates, os ricos tem nomes incomuns, faz parte

se fosse da sociedade -media chamava-se Antonio ...