quarta-feira, agosto 10, 2005

Soares fará regenerar o PS?




Já se viu que as presidenciais irão dividir o PS. Pessoalmente prefiro, acho que a forma unânime com que todos se colaram a José Sócrates só escondeu os motivos redondos e apolíticos da clientela que um grande partido generalista e ideologicamente mais elástico do que o desejado tende a ter.
Assim provavelmente Carrilho disse o que já ouvi a muitos dirigentes do PS. Na verdade não acho o Soares assim tão velho, nem a sua idade assim tão relevante. Pelo contrário acho deplorável o que o facto político pode provocar - uma indómita vontade de toda a 3ª idade querer voltar/continuar nos cargos políticos e consequentemente na “poule” de lançamento dos lugares de estado.
As listas de deputados tem sido feitas na perspectiva da continuidade, os lugares nas comissões igual e por aí adiante. O peso da idade de militância vale muito, não valendo nada quando depois se recorre inapelavelmente aos de fora para fazer o trabalho politico que devia ter sido feito dentro.
Mas explico melhor, onde está o resultado dos gabinetes de estudo dos partidos? Dos grupos de trabalho? Dos documentos estratégicos?
Do PCP ao PS, continuando pela direita usa-se o mesmo estratagema, dirigentes de longa data, pouca reflexão e depois juntam-se uns figurões e faz-se de conta que é a ligação à sociedade civil.
É uma escabrosa mentira! Ninguém liga a independentes nos períodos que intermedeiam as eleições. Nesses debatem-se lugares internos, depois aplicam-se as estratégias.
Neste sentido é necessário nova política, uma revolução silenciosa, o transformar os partidos em escolas de dignidade, de ética, de debate, e de produção de ideias.
Assim não sendo todos contribuem para o mau estado do País, independentemente de Soares, Alegres ou Cavacos. Na verdade Soares tem escrito mais e discutido mais do que toda a sua geração que lhe seguiu. Mesmo Alegre nunca se propôs a fazer mais do que o que lhe dava jeito. As autarquias são para muitos um espaço menor, eles que fizeram carreira nos corredores de Lisboa.
Em suma, se a campanha de Soares servir para discutir isto, ou seja, a necessidade do PS de renovar e muito, já será bom. É que a cedência ao velho candidato poderá ser o pretexto para o ponto final neste caquéctico estado de coisas.
Este assunto há-de continuar....

4 comentários:

PVM disse...

"É necessário nova política, uma revolução silenciosa, transformar os partidos em escolas de dignidade, de ética, de debate, e de produção de ideias".
Em suma, Avelino, a quadratura do círculo, um oásis remetido ao mundo dos sonhos. Se há dúvidas de como os partidos não são regeneração de nada, dois exemplos: as juventudes partidárias, mestres na arte do deplorável que herdam dos seus "heróis" mais velhos, refinando-a mais ainda; e a bestialidade do Bloco de Esquerda, o partido da moda.
Paulo Vila Maior

avelino disse...

Subscrevo. Fui dirigente da Jota e subscrevo, mas a culpa da Jota estar assim é mesmo do partido. Se o objectivo deles é competir por uns miseros lugares nas zonas de linha de águas... (tipo de deputados ou vereadores)
Quando trazem novos assuntos´são gozados.
Quantas vezes levantei gargalhadas quando falei de pgs net. Já falo nisso desde 98 ou 99. Ainda o Narciso era da Federação sem oposição. Hoje digam-me lá os sites... Onde estão as acitvidades do partido no distrito.
Quero saber quem é o candidato à junta de Freguesia de sobrado, ou de Valbom, ou de Macieira, ou Vila Meã (para dizer uma do Assis).
E os programas, e o relato da siniciativas do PS.
Sobre o bloco tb concordo. Um partido sem eleições ou actos democráticos.

AM disse...

Eu ainda sou do tempo.....

Em que nem Jotas havia... (hehe, tou a brincar)

Claro que eu fui da MP (que era uma Jota lá do meu tempo)

Irrrrrraaaaaaa

AMNM

Incoerente disse...

Não terá conhecido o Durão?