segunda-feira, junho 06, 2005

Rui fala para a boa CS

Dei-me ao trabalho de ler a entrevista de Rui Rio ao Primeiro de Janeiro (como sabem órgão de
comunicação social cujo dono é Montez e serve de Pasquim dos sociais democratas) porque não tenho paciência para ouvir as entrevistas na rádio Festival (que é do mesmo dono e serve de voz ao pasquim). Assim lido é melhor.

Então em vez de comentar tudo vale a pena fazer-lo com alguns excertos:

“Mas acho que a senhora está numa espiral de loucura” – refere-se à ministra

“Para mim é um orgulho saber que havendo eleições em Outubro, como vai haver, sendo eu candidato ou não, e provavelmente o serei como é lógico, saber que as eleições não estão ganhas”

“Se as pessoas tivessem uma noção do quanto são desinformadas, muitas vezes daquilo que é a minha acção na Câmara do Porto, tenho a impressão que fazendo uma sondagem se calhar tinha aí 90 por cento de apoio” - Parece alguém da quinta das celebridades

“Ainda há meia dúzia de dias tive uma sessão grande com profissionais de cabeleireiros e das barbearias, em que lhes pedi para dizerem o que está bem e o que está mal, e no fim uma senhora disse que saia dali com uma ideia muito diferente minha” - Biba a manicure!

“Isso naturalmente não agrada à maior parte da CS, principalmente aquela que é afecta ao partido socialista. E portanto cai em cima de mim” – gostava de saber o que ele acha do JN e do 1º de Janeiro, da rádio Festival. Já agora da Sic e da TVI.

“inegável que a CS é muito mais benevolente com o PS ou com o Bloco de Esquerda do que com o PSD. O PCP fica mais ou menos a meio, não tem tanta defesa quanto tem o PS na CS, nem tanto acesso. Isso não tem, mas também não é tão maltratado quanto é o PSD. Não estou a dizer com isto, porque depois lá vêm as mentiras, as deturpações…, não estou a dizer que os erros que o PSD fez, quando foi Governo, foram por culpa da CS. O que estou a dizer é que, obviamente, e aqui no Porto então há muito mais CS afecta ao BE e ao PS, e que está permanentemente a dizer mal de mim e a inventar coisas contra mim,” – a culpa é da comunicação social.

“O Santo António é que é um monumento nacional, o Museu é edifício classificado. Por isso é que o IPPAR é que tem de ser consultado” – Quer dizer que são coisas diferentes?

“eng. Nuno Cardoso pôde fazer a obra, escavou à porta do hotel e à saída do hospital, e depois abandonou tudo. E abandonou por falta de um projecto consistente, porque entretanto teve problemas na execução do projecto central do túnel, na escavação, depois também por falta de financiamento e tinha um parecer desfavorável do IPPAR, mas não um embargo, como está a fazer agora à cidade. Herdei aquilo assim. Estava ali um pântano, com água, já a criar bichos à porta do hospital,” – quer dizer nunca teve a intenção de ampliar o túnel???????
(….reorientação do túnel da R. de Ceuta para o Palácio de Cristal…. In Programa eleitoral do PSD/CDS-PP para as autárquicas – quem mente afinal?)

“É evidente que tenho de defender o hospital, os moradores, os comerciantes, o trânsito, os STCP, Táxis, todos que permanentemente reclamam que eu me imponha ao Governo para tentar andar para a frente” -??????

“Construam lá o CMI onde quiserem”

“mas os principais responsáveis por essa realidade má não são os que chegaram há três anos, mas quem esteve lá 12 e abandonou os bairros. Isso para mim é claro como água, e nós, nestes três anos temos feito muita coisa, mas ainda há muito para fazer.” – nem vale a pena dizer nada!

“A nossa cidade, quando comparada com as grandes da Europa, é segura. Isto não quer dizer que haja completa segurança. Isso não é verdade. Nós temos insegurança, só que os outros têm muito mais. Mas se nós não cuidarmos disso, então fica igual às outras. O que há na nossa cidade é sentimento de insegurança. Há mais segurança do que as pessoas pensam”

(Nos últimos anos, porém, a situação tem-se degradado e o crime tem-se dispersado por toda a cidade, acompanhando a exagerada densificação urbanística. Os crimes menos graves são os mais frequentes, sendo habitualmente perpetrados por jovens. A criminalidade mais violenta também é praticada, de forma sistemática, por jovens integrados em grupos mais reduzidos. Estes grupos, pequenos na dimensão, revelam uma tendência para reincidência. O medo, fenómeno de fundo da insegurança, é fundamentalmente vivido no centro da cidade (bairros históricos) e nos bairros sociais. Tal sentimento relaciona-se com o medo da prática de actos criminosos, especialmente perpetrados por grupos organizados, por criminosos sexuais, por toxicodependentes armados com seringas, arrumadores de automóveis, etc. – in Programa eleitoral do PSD/CDS-PP)

“O normal é que um presidente de câmara não faça apenas um mandato, porque não consegue concluir nada” – se começasse já não era mau.


“O próximo presidente não tem uma situação folgada, tem que fazer um esforço para o reequilíbrio, que se irá conseguir fazer durante um ano, e depois, a Câmara do Porto quase poderá ser um modelo” – parece premonitório – não acham? Ele sabe, ele sabe que não há bem que não acabe e mal que sempre dure.

“O próximo presidente encontra uma cidade com muitos problemas para resolver mas com os principais estrategicamente encaminhados. Os bairros sociais do Porto têm as pessoas com uma qualidade de vida muito a abaixo do que aquela que deveriam ter.”

“Continua a haver muito para fazer, mas como tem uma empresa municipal já criada e montada para trabalhar, e se tiverem juízo nas finanças, passam a ter cada vez mais recursos para fazer essas obras que deviam ter sido feitas há cinco, seis dez quinze anos” – eu diria há quatros, três, dois, um!

“Vai encontrar uma baixa do Porto abandonada, só que encontra uma legislação entretanto criada e uma empresa criada ao abrigo dessa legislação a funcionar, um plano devidamente aprovado e umas obras no terreno que só param se as pessoas quiserem parar” – quais obras, quatro casas em Carlos Alberto?


PJ - Se se recandidatar é na conclusão destes projectos que se vai empenhar?”Acho que o presidente de câmara, seja de que partido for e em particular se for do PSD, deve seguir esta lógica, ou seja, manter a habitação social como primeira prioridade, porque fizemos muito mas estamos longe de fazer o que é necessário. É preciso manter a reabilitação da baixa na primeira linha das prioridades, porque a baixa é fundamental para o desenvolvimento e estratégia do Porto, para o orgulho da cidade. Fizemos muito trabalho de «sapa» mas no terreno propriamente dito está agora a começar.” – eu diria, ou a acabar!

5 comentários:

SEDE disse...

Da SIC da TVI e da RTP que ainda na semana passada abafou a conferência de Imprensa que o Assis deu na frente de obras do estacionamento do parque da Cidade por imposição do Dr. Rio, o grande democrata

SEDE disse...

Da SIC da TVI e da RTP que ainda na semana passada abafou a conferência de Imprensa que o Assis deu na frente de obras do estacionamento do parque da Cidade por imposição do Dr. Rio, o grande democrata

fortuna disse...

Eu só posso compreender as baralhadas do Rio em relação ao proprio programa numa perspectiva de que ele foi para lá sem nunca pensar ser eleito.

Incoerente disse...

Por causa de Rui Rio o nosso kerido Figo vai ser despedido...
e os pinguins na Australia vão deixar de se reproduzir.

Incoerente disse...

Por causa de Rui Rio o nosso kerido Figo vai ser despedido...
e os pinguins na Australia vão deixar de se reproduzir.