quarta-feira, setembro 28, 2005

A Eurominas

Eu não me importo de responder ao repto lançado para falarmos sobre o caso da "Eurominas".
Antes de tudo julgo que aqui a história está aprofundadamente tratada. Se é verdade, não sei, mas que cheira a esturro, lá isso cheira.
No entanto parece-me que foi um caso de advogados muito fortes que investiram em ganhar o caso e em desenvolver a negociação a vários níveis. Se a decisão fosse dos tribunais muito bem, como foi um acordo, e as personagens envolvidas foram as que foram, a suspeição levanta-se.
Portanto, em suma, para não dizerem que somos sectários nos escandalos... acho que vale a pena discutir o assunto.

11 comentários:

Anónimo disse...

Hi,
I was just blog surfing and found you! If you are interested, go see my work from home site. It is a great opportunity.

Why Don't You work from home today?

Adrian: PRESS RELEASE: ABOUT THE BEST WORK FROM HOME PROSPECT AND WHY LISTED ON GOOGLE AND YAHOO NEWS ABOUT THE LINK ABOVE work from home

AM disse...

Então o "spam filter" já não funciona?

Incoerente disse...

Avelino é pa continuar a falar de pedras?!

AM disse...

Ainda bem que o Avelino abre aqui o debate para o caso Eurominas.

Eu como não tenho informação suficiente não vou mandar bocas, mas...

É evidente para mim que, independentemente de quais sejam os partidos, não me parece bem ver es ministros, ex-secretários de estado ou ex-qualquer coisa do género, passado pouco tempo estarem a negociar com o mesmo estado de onde saíram, para onde podem voltar mais cedo ou mais tarde e onde, sem qualquer dúvida ainda tem escelentes "contactos".
Não parece bem nem, em minha opinião, está bem.

Poderá ser apenas uma questão de "higiene", mas a higiene é a base da saúde :-)

Caro comentador "António", venham de lá as suas achegas.

AMNM

Avelino disse...

Ó pá o filtro afinal não filtra tudo.
Além do Joaquim, nosso espanhol que verdadeiramente comenta politica temos também aqui vários estranjeiros, bulgo penetras a mandarem umas bocas nos comments. A mim já me chateia quase tanto como os Kapas da inkoerente ter que escrever aquelas letras ridiculas para comentar qq coisa, do tipo bhrtuedfr, ou então fgrtuHjdsd, apetece dizer ao blogger para ir chatear para Nhjfrto...

Incoerente disse...

Estes intrusos so aparecem kando o Moreira regressa de ferias.
Tbm tou farta dessas letrinhas, nunca consigo postar à primeira

AM disse...

Ó Avelino

Se se conseguir arranjar que, nas letrinhas em baixo, nunca saia o "k", pode ser que o filtro passe a filtrar as incoerências...

Que tal?
AMNM

Teófilo M. disse...

Li a história, com atenção, e o que mais me confunde é como durante o XII Governo, o PM de então, não conseguiu dar andamento à reversão dos terrenos, decidida em Março de 1995, e não efectuada até Outubro desse mesmo ano, deixando o assunto para o seguinte.

Não cuidou o jornalista de identificar o decreto onde se ordena a reversão, nem tampouco as démarches ocorridas no governo que as ordenou.

Só com o acesso aos respectivos despachos, decretos e material que ilustre o assunto será possível uma posição séria.

Assim, teremos de ficar pelos princípios de que não parece bem que ou deveriam ter-se abstido de , sem que contudo adiante ou arrefente o disparate do ano de espera para poder então intervir contra o Estado, tendo sido representante do mesmo 12 meses antes, como se após esse diminuto lapso de tempo tudo já pudesse ser feito.

Anónimo disse...

Note-se a brandura com que o Avelino aborda este tema.

Olha se fosse qualquer coisa relacionada com o Rio...

Anónimo disse...

Era logo à bandeirada

avelino disse...

Brandura, bandeirada - é já a seguir...