segunda-feira, setembro 26, 2005

Morrer pobre como Van Gogh

Segundo o JN hoje:
"A mulher do presidente que é sócia de uma imobiliária
O gabinete maiato "Planomaia, Projectos de Arquitectura e Engenharia" foi o responsável pelo projecto dos loteamentos da Portela e do Vale, entre muitas obras na Maia. E a empresa "Gomes, Carneiro e Rodrigues, Investimentos Imobiliários, lda" é a promotora da obra do Vale que avança sobre a RAN. Em ambas, uma das sócias é esposa de Luciano Gomes, actual presidente da Assembleia Municipal e antigo vice-presidente da Câmara da Maia até 1989. "Lá por ser membro da Assembleia Municipal, não quer dizer que deva morrer pobre", comenta o presidente da autarquia, garantindo não haver incompatibilidades. "Não se trata de um cargo executivo. Só não pode, segundo a lei, participar em votações da Assembleia que vertem sobre interesses próprios", assegura Bragança Fernandes."


23 comentários:

antónio disse...

EUROMINAS

Anónimo disse...

Sem pretender desculpabilizar a esposa do senhor, acho que poderiam tb deixar uma posta sobre a Câmara de Matosinhos, que alguns dos Sedentos tão bem conhecem.

Familiares "a reboque"? Atire a primeira pedra aquele que nunca pecou...

avelino disse...

Meus familiares não são de certeza. Sobre a primeira pedra não nos pronunciamos, mas sim sobre uma noticia no jornal

Incoerente disse...

Afinal onde anda o Sr. Moreira de pedras percebe ele...

Anónimo disse...

Caro Avelino,

Ninguém referiu familiares seus.

E acho muito bem que se comentem notícias dos jornais e se denunciem casos como este, que são uma vergonha.

Mas há muitos mais, nomeadamente em Matosinhos, que voces conhecem bem. Porque não se comentam esses?

Incoerente disse...

Ora essa porke ainda não sairam nos jornais, Bah?!

Anónimo disse...

Incoerente: uma pergunta pessoal (desculpem os sedentos o uso abusivo do espaço):

Porquê os "k"? A pergunta é honesta e sem qualquer segundo sentido. Mas confesso que não percebo. É para ser mais rápido? (pode sempre usar o "q" sem o "u") ou é uma questão (ou kestão) de estilo?

Incoerente disse...

é mais um kestão de economia... tal como v. faz com o uso do nome, diga lá não é mais practico assinalar o anonimo?

avelino disse...

Pois exactamente incoerente.

ma aproveito para voltar a citar um trecho que já escrevi sobre o assunto:

... Obloguitica anda por aí a fazer uma recolha dos membros dos partidos e respectiva família com lugares de nomeação.
Diz ele que já lhe choveram emailes. Eu por mim acho divertido, mas não sei o uso que lhe querem fazer. Se o objectivo é moralizador, pois a atitude é boa. Se o interesse é criar uma espécie de lista negra, já me parece pouco correcto.
No entanto todos sabemos que os partidos tem tendência para serem agência de empregos, e se não tem receio desse assunto que se assumam as nomeações. Pois assim, sem hipocrisias, a coisa é mais séria.
Tenho portanto, muita dificuldade em criticar a atitude do Paulo Gorjão.

No caso de MAtosinhos foram publicos alguns nomes, nomeadamente a mulher do ex-vice presidente, e alguns militantes do PS com lugares na câmara. Por acaso conheço casos que me parecem piores noutros municipios da AMP, por exemplo Valongo, Gondomar.
Mas também nos outros do PS, como agora são poucos no distrito é facil saberem quais são. No entanto sou incapaz de julgar sem provas ou denunciar por palpite. No caso da Maia, inclusive abstenho-me de comentar, ´porque acho que geralmente nestas coisas as situações tem nuances.
Não me parece que sejamos o País da cunha, mas toda a gente mete cunhas a toda a gente e critica os politicos. Acunha é socialmente aceitavel, nomeadamente para os empregos de malta de familia, menos para a familia dos outros.
Bom dá que pensar, não?

AM disse...

"Incoerente said...
Afinal onde anda o Sr. Moreira de pedras percebe ele... "

Só se for das que a Cristina e os seus amigos (anónimos e não só) me atiram....

AMNM

Incoerente disse...

Oh Moreira eu se lhe atirasse uma pedra tombava-o logo....

Agora esta dos funcionarios publicos não poderem ter partido...

de funcionario publico de um departamento kalker, a gestor de uma empresa Publica - tipo seabra , tipo a esposa do Sr. menezes - vai uma grande diferença

esses é ke me preocupam, agora o secretario geral da secretaria da junta?!
Oh

Anónimo disse...

Mais ou menos de acordo, Avelino.

Mas depois temos que aceitar estes casos em que "Lá por ser membro da Assembleia Municipal, não quer dizer que deva morrer pobre".

As cunhas estão de facto quase institucionalizadas por cá (o que não abona muito a nosso favor) mas apesar de tudo acho que há uma grande diferença entre as cunhas da esfera "privada" (numa qualquer empresa) e da esfera "pública" onde se gere o dinheiro dos outros.

Anónimo disse...

Obrigado pelo esclarecimento, incoerente (sinceramente)

Incoerente disse...

Obrigado o ke? neste pais nada se faz de graça, no minimo tem ke responder à pergunta ke lhe dirigi...
mas diga lá a boca das juntas de freguesia saiu-me bem , não axa?

Anónimo disse...

Como não sou blogger e o nome não diz nada, vou pelo mais simples que é o anónimo. Pelo que tem razão: é mais prático (e sempre me furto a algum calhau do Moreira... :-) )

Desculpe mas não percebi a boca das juntas... Estive a reler os comentários aqui acima e não vejo nada. Pode esclarecer?

Anónimo disse...

Antes de ser atacado, eu não disse que o Moreira era um calhau, antes que atira calhaus!...

avelino disse...

Quer dizer que cunhas da esfera privada são diferentes da esfera publica?
Ora bem, então uma cunha do Socrates para a filha da emprregada pode ser desde que seja para uma empresa privada?
O assunto é complicado. O problema é que os políticos é que levam com as culpas das cunhas estarem socialmente aceites.
Por exemplo, quando digo que sou dirigente do PS, em geral, rrespondem-me: Ah, então quando precisar de alguma coisa....

Anónimo disse...

Caro Avelino,

É evidente que são diferentes. Se alguém mete na empresa a filha da empregada do Sócrates é lá com esse alguém - se for uma má contratação é um problema dele, da empresa dele.

Na esfera privada os problemas vêm a seguir: se esse alguém pede uma contrapartida ao Sócrates e ele a dá.

Já na esfera pública, os problemas começam antes: se a rapariga não é indicada para o lugar, ou até se nem há nenhum lugar, está-se a desbaratar dinheiro dos contribuintes, o que, a meu ver, não é aceitável.

Esta pequena diferença faz toda a diferença: voce quando tem um cargo público está a tratar do "meu" dinheiro e eu quero que isso seja feito sem desperdício.

Na sua empresa é o "seu" dinheiro e voce faz com ele o que bem entender (desde que dentro da lei, obviamente).

Incoerente disse...

O Moreira manda Calhaus?!
São mais penedos. Rochas.

avelino disse...

Ó incoerente,

Primeiro inquilinos agora calhaus?

Incoerente disse...

Ei ke fike claro ke não mando pedras aos inkilinos, elas é ke vão caindo da fachada ok?!

Então Moreira para kando o artigo das forças armadas?!

antónio disse...

carvalho pá! atão ninguém fala na EUROMINAS?

AM disse...

Eurominas ?

O que é que se passa?

Todas as informações são bem vindas.

AMNM