quarta-feira, maio 11, 2005

Assis em Entrevista ao Comércio do Porto

Francisco Assis: "O primeiro-ministro vai tratar o Porto de forma especial"

Francisco Assis: "Túnel de Ceuta termina no Jardim do Carregal"

Francisco Assis: "Ser líder da Distrital não é a função que mais me estimula"


9 comentários:

Pedro disse...

eu não quero que tratem o Porto de forma especial. Quero somente que o tratem correcta e justamente...
Essa frase é até infeliz, porque põe em causa a "seriedade" do 1º Ministro já que este não pode dar um tratamento especial a quem quer que seja (cidade, pessoa, etc)

Avelino disse...

Pois Pedro,
Realmente o Porto é igual á Freixo de Espada à Cinta, só que com mais habitantes, prédios a cair, escolas, universidades, auto-estradas, investimentos, vias de comunicação aéreas e maritimas, empresas, marginalidade, jovens desempregados, eventos culturais, turismo, movimentos pendulares, residentes envelhecidos, inquilinos de bairros sociais, automóveis, rendimento per capita, investimento per capita, enfim, igualzinha às outras cidades, nem mais nem menos.
Talvez se fosse tratada igualzinha a Lisboa eu tb concordasse.

Fortuna disse...

Estaremos a falar aqui de discriminação positiva?

Pedro disse...

da mesma forma que o Avelino não gosta que Lisboa tenha um tratamento especial em relação ao Porto, deve concordar que os bracarenses ou setubalenses não gostem do tratamento especial que o nosso 1º ministro "pretende" dar ao Porto...

AM disse...

Se calhar o Pedro até tem razão neste ponto.....

Poder-se-ia ser levado a pensar que o Assis queria fazer os portuenses assumir que era melhor ter um presidente da câmara do mesmo partido do primeiro ministro, o que, não sendo "politicamente correcto", até pode, um dia, ser um pau de dois bicos....

Se calhar o que o Assis disse (e terá sido mal citado :D) é que, a partir de agora, o primeiro ministro irá dar ao Porto a atenção que merece :-)

Pelo menos sempre ficava melhor um bocadinho, ou não?

AMNM

SEDE disse...

A ideia da frase do Assis é o Porto como motor de uma região com 3,3 milhões de portugueses e de mais de 6 milhões em termos noroestinos. É por isso que tem de ser especial para o governo central.

RS disse...

Não se deve investir no Porto porque é preciso ajudar o Porto. O investimento tem que ser feito no Porto porque senão quem perde não é apenas o Porto é o País e os Portugueses.
Que tal assim?

(estado) o socio de todos os portugueses disse...

Isso assim está melhor, até porque se continuarem a ignorar o Porto, correm o risco de uma boicote geral aos impostos , que se propagará a toda região norte do pais!

Pedro disse...

já estamos a encontrar "frases mais felizes" :-)