sexta-feira, maio 27, 2005

Porto e Lisboa

Dois dias em Lisboa chegaram para ver a coincidência nas campanhas de Carrilho e de Assis.

Uma nova energia para a cidade! diz o Assis

Um projecto com princípio, meio e fim! diz Carrilho

Qualquer um de nós sabe, que num caso e no outro, são melhores políticos do que os seus adversários. São mais competentes e mais atentos à contemporaneidade das ideias. Num caso e no outro, demonstram que o PS apresentou candidatos que respeitam as autarquias das duas cidades, pois um e outro, seriam facilmente aceites como ministros do governo, melhores até do que alguns eu lá estão, aliás um e outro, são amiúdes vezes indicados como capazes de liderar o Partido Socialista.
Assim os ataques que lhes fazem (pouco credíveis, eu sei!) encontram sempre o mesmo ponto de fuga: Serão eles capazes do desafio? Terão pefil e força para derrotar os instalados e demagogos?
Bom! basta passar hoje no Marquês do Pombal e percorrer os corredores de madeiras e pedras, entre as estúpidas e mal organizadas obras, que nos conduzem à estreada Feira do livro, para saber que sim - em Lisboa. Basta ver o estacionamento selvagem, a falta de segurança ou o incrível Metro que apresenta miseráveis condições de mobilidade para cidadãos, nomeadamente cidadãs com filhos pequenos. Paragens de autocarros em locais inacreditáveis, ruas maltratadas, passeios em péssimo estado, enfim. Basta passar na 2ª circular e apanhar todo aquele trânsito a qualquer hora do dia e provavelmente não tardará a ser também da noite, para ver que 1 só estádio dos dois que lhes vemos, daria para pagar boas alternativas. Basta a sinalização, a sujidade, a informação, etc., etc para saber que Lisboa tem muito que melhorar.E mais que nem sei, mas bastava meia semana para saber!

No Porto, quem vier ao contrário do que eu fui pode vêr que a zona das Antas - a mesma que o Rui R. atacou é hoje um pólo dinamizador da cidade, um centro comercial de sucesso, um estádio bem desenhado e muita habitação para recuperar os miles de habitantes que vamos perdendo. Vamos ver as boas recuperações do espaço público e deparamo-nos com o túnel de Ceuta - é uma vergonha. Quem for junto ao mar delicia-se como o Parque da cidade que se fez junto às rochas e pela cidade dentro, mas não sabe as razões de um mamarracho abandonado durante 4 anos. Não sabe porquê milhares de trabalhadores ao mesmo tempo num contra-relógio que devemos ser nós a pagar as horas extraordinárias na Boapista. Não sabe porquê tantos muros de betão nas bermas e a tapar casas.
Mas se for pela marginal do Rio e vir a recuperação ribeirinha fica feliz. Vê pescadores, rapaziada de bicicleta, gente a passear, mas vê casas vazias, o comércio em desespero e acima de tudo nenhuma oferta cultural e turística no centro. Não há CMP, nem para resolver um mercadito da Ribeira. Mas abstraindo disso vê um magnífico património construído, mas vê poucas ou nenhumas casas a serem recuperadas. Sabe entretanto que na CMP. longas filas se acotovelam para resolver os problemas de quem quer recuperar.
E vai embora, ou volta de um ou outro lado qualquer convicto que esta gente mente e mete nojo! Que esta gente não interessa à cidade. Que esta gente é o pior de cada um dos lados.

5 comentários:

TAF disse...

Meu caro, não me parece que seja com textos tão parciais que se vai conseguir melhorar a cidade. O que faz falta é precisamente equilíbrio, bom senso, serenidade. Rui Rio fez coisas boas e coisas más. O PS antes fez coisas boas e também muitas coisas más. Se a ideia é convencer convencidos, então este texto está bom. Se, pelo contrário, temtarmos ser racionais, apresentar o assunto deste modo só atrapalha...

Avelino disse...

Caro Tiago,
A vantagem de um blog é mesmo a parcialidade dos textos. Este blog também serve para expressar a opinião de uns quantos socialistas - é portanto parcial. Esperemos, no entanto que não deixe de ser lúcido no essencial.
É tambeem o caracter de aproximação à oralidade que a net permite. Por outro lado não necessitamos de fundamentar cientificamente as ideas quando elas provêm de impulsos.
O blog é de socialistas e é natural que isso se note. No entanto, o que não podemos perder é a racionaliddade de saber ouvir e saber perceber os diferentes níveis de discussão que a cidade permite.
Leio todas as semanas textos demagógicos ou brutalmeente sectários nos jornais. Vejo declarações e campanhas de grande impacto proferidas por agentes políticos e não se diz muitas vezes nada.
Sobre as coisas boas e más do Rio podemos discutir. Eu acho que entre o deve e o haver, o PS na cidade ainda merece muito crédito. Isto dito por quem na primeira hora achou justificada a desconfiança da população sobre a candidatura do Gomes.
Assim o reforço positivo que as técnicas académicas dizem ser preciso dar às criticas ao RIo, a nós não nos interessa. Se fizemos (PS) coisas mal temos que as saber assumir e corrigir. As coisas boas devemos orgulharmo-nos.
È que Às vezes parece que somos criticados pelas coisas boas que fizemos, somente pela forma e não pelo conteudo. Veja-se o Parque da cidade - parece que nem foi o PS a construir aquilo tudo. O plano das Antas - parece que muito daquilo já não estava contemplado nos diferentes estudos que me lembro de trabalhar desde 92. A 2001 capital da cultura, apesar dos defeitos, parece que só nos prejudicou. E por aí fora!
Enfim - será um bom mote para o encontro entre a baixa do Porto e os socialistas.
1 ab

Cristina disse...

Sim, muita coisa boa ... vamos falar da construção em massa, da descaracterização da Cidade, dos lobbys, da corrupção, do funcionamento do urbanismo, do funcionamento da câmara, da transparecia politica dessa altura e da forma como o JN ou outros encobriam factos como o Túnel de Ceuta e tantos outros.

Avelino, metade destes problemas foram resolvidos agora, já para não falar das salvas de prata remetidas às Antas, por acaso não participou nessa votação???
Dos projectos aprovados no ultimo dia de mandato, e que visavam exactamente a destruição do parque da Cidade.

Podemos ainda falar do que o PS não fez e agora quer fazer, desculpe AVELINO admiro a coragem de terem aqui na net, um espaço aberto sujeito a criticas e sugestões.

Entendo ainda que o propósito das eleições, leva os partidos a dispararem em todos os sentidos, por isso desejo um partido realista, que não vise apenas o poder, um partido que saiba negociar e aproveitar as boas propostas de outros partidos, que saiba exigir melhorias em outras, ou até rejeitar completamente aquelas que não representam a vontade dos que os elegeram.

Chumbar só porque vem da oposição, criticar ou encontra falsos argumentos só porque a proposta vem da oposição, isso não é politica, isso é oportunismo, é usar mal o poder que o povo nos confere.

É uma luta entre siglas, independente da Cidade e dos Cidadãos, enquanto é tempo deveriam mudar as V. directivas, não será por muito tempo que o povo vai continuar a aceitar estes jogos de poder, que não representam nem alvitram o benefício da sociedade.

Ate sempre

Avelino disse...

Cara Cristina,

Se fala das salvas de prata das Antas, porque não os pdms alterados no bessa?
Se participei em votações: Não!
Se alguma coisa se encobriu, então que se provem e encontrem responsáveis, agora fazerem do Rui R e desta gestão o Arauto da moralidade e da Nobreza de principios - Não.
Se ser honeesto com dinheiro já é um a qualidade, então a política e a sociedade está perdida - porque devia ser um principio e RUi R. não faz mais do que o normal ao abster-se de envolvimento em negócios. MAs olhe que Cristina que nem tudo que luz é ouro! E sinceramente gostaria que muittas coisas que dizem por aí fossem provadas em papeizinhos, que se mos dessem eu saberia o que fazer. Nem que fosse manda-los para o nosso amigo AM.
Sobre os chumbos que vem de um lado ou de outro - isso não é verdade. Inclusive em reuniões que participei sempre se relevou o interesse da cidade.
No entanto meus caros nós estamos em campanha eleitoral. Assim o discurso é eleitoral, simples, directo.
Eu só gostavam que tentassem tratar de assuntos na CMP para sentirem na pele. Ou enetão ouvirem como eu ouço gente do PSD falar desta gestão «bem pior do que eu. E com razões que eles saberão.

Cristina disse...

Ora eu como não faço parte dos empreiteiros das Antas, dos lobbys do Centro historico, como não levo nem pago viagens na Abreu a ninguem, gosto deste novo funcionamento, gosto do open espace e depois esses que se queixam que os projectos demoram seis anos a aprovar - olhe eles lá sabem, o que deixaram para tras.

Quanto a querer construir em massa, a ter um programa RECRIA com verbas ficticias, isso realmente acabou, tem-se dado prioridade ao Restauro.

Os que se queixam provavelmente Avelino são os tais do open espace, aqueles que tem que picar o ponto agora, aqueles que já não assinam projectos por mão propria, mas não vamos entrar por aí.

Todos tem coisas boas e más, não nos façamos de esquecidos, é bom recordar, porque se o Avelino não recordar agora, não terá forma de evitar (os mesmos) erros se o PS subir ao poder, fica ao vosso criterio.

Ao menos aproveitem o inicio do trabalho que foi feito nos bairros sociais e por favor não recuem na macro estrutura.