quinta-feira, maio 05, 2005

A JSD

O Hugo Neto (lembram-se dele independente quando esteve à frente da FAP) veio, em nome da JSD do Porto, criticar a política cultural de Rui Rio. Na verdade tem toda a razão, e só a perde quando compara no mesmo pé com os tempos de Gomes. É que o Porto foi um exemplo Europeu e agora perde-se nas entranhas da contabilidade.
Sem partidarismos digo-vos que basta falar com agentes culturais para saber a completa ausência de rumo da política cultural portuense. Aliás basta visitar a pobreza do Site da Culturporto. Nem sequer conseguimos interpretar as iniciativas dos vários equipamentos em simultâneo.
No entanto, regista-se a curiosidade dos jotinhas em tocar neste assunto, pois cheira a pole-position nas listas. Já agora alguém já descobriu o nome do Vereador da Cultura da Câmara do Porto? Ou dito de outra maneira, que assunto será necessário surgir para a gente o ouvir dizer alguma coisa aos pobres municipes? Será a conclusão do maior e mais sonante equipamento cultural na cidade? Será a mais acesa polémica com a instituição pública mais conhecida do Ministério da Cultura? Serão as declarações dos partidos, inclusive os da maioria, sobre este pelouro?
Mesmos os mais defensores da complicada política de Rui Rio devem adimitir, não um calcanhar de Aquiles, mas uma fraqueza total deste semi-deus nesta matéria.

1 comentário:

LMN disse...

Pareces a Carochina à janela a escolher o João Ratão. Quando der por ela ele cairá no caldeirão.