domingo, outubro 16, 2005

O retorno de Gaspar

A forma como se prepara o retorno de Gaspar ao poder concelhio demonstra a falência da plenitude democrática que os partidos deviam ter.
Gaspar escolheu Cardoso para líder, liderou-lhe o processo de eleição e tomou-lhe sempre o pulso, dando a rédea mais curta que tinha.
Agora, a propósito de uns quaisquer lugares na Assembleia Municipal, jura-lhe vingança. Deseja a sua expulsão do cargo que lhe ofereceu.
Quem se move por causas não pode ficar indiferente, Cardoso nunca foi boa solução para um partido que não precisa de uma liderança populista mas sim reformista.
Gaspar, ou Gaspares, apesar de homens de irreprensivel trato e simpatia pessoal, transportam o pior da participação partidária – o caciquismo, quase caudilhista (à sua escala).
E sendo assim há que trilhar outros caminhos. Temos que oferecer novas oportunidades.

8 comentários:

Incoerente disse...

Avelino tá enganado, esse filme do regresso do Vilão já estreou praí hà 6 meses , é o tal dos efeitos especiais... não sei onde o amigo foi buscar o Gaspar, o homem ke regressa chama-se Darth Vader

Vieira Alves disse...

Haverá homens/mulheres "bons" no PS Porto com vontade de se incomodarem e estragar os planos da "corte" ?

Apareçam eles e, se possível, sem apoios à partida de nenhum barão/baroneta/conde/condessa/...

fortuna disse...

Eu não acredito em homens bons, mas lá que os há, há!

fortuna disse...

Cara incoerente, a menina está a passar ao lado de uma grande carreira. Com esse sentido de humor podia ir longe, muito longe mesmo.

Anónimo disse...

Os militantes dos partidos faziam melhor se passassem menos tempo nas sedes e mais tempo no terreno a falar com os anónimos eleitores. Podia ser que aprendessem alguma coisa, embora isso seja pouco provável.

Alter Ego

Teófilo M. disse...

o PS no Porto ainda mexe para a política, ou apenas quando se trata de tachos?

Fernanda disse...

Faço uma sugestão aos descontentes: formem listas e candidatem-se aos orgãos partidários, é mais simples do que continuarem como o Calimero dos desenhos animados "it's un injustice, it is!"

Incoerente disse...

Ora cá esta uma boa sugestão «formem listas e candidatem-se aos orgãos partidários» de um partido novo.

façam uma coligação com os bons dos diversos partidos, criem novos estatutos e ideais.

Um entendimento democratico entre os varios criterios partidarios...
um ekilibrio

kando chegará o dia ke elegeremos não partidos , mas pessoas dentro desses partidos e façamos ekipas saudaveis ... kando chegará esse dia