quarta-feira, outubro 12, 2005

Povo que lavas no Rio!

Depois dos resultados de domingo, e da agitação nos dias que se vão seguindo, apenas me parece oportuno este velho poema de Grabato Dias.

Heróis não há mais
Nem depois nem antes
Há é marechais
Vendendo purgantes
Tenentes tementes
Bons comerciantes
De pasta de dentes

Heróis não há tanto
Como se apregoa
Há é este espanto
De voar à toa
E quem ajoelha
É boa pessoa
De orelha a orelha

Heróis? Bom… talvez
Haja aí algum…
…Até certa vez
Me mostraram um.
Preguntei, atão?
Respondeu: umh umh.
Fez-me uma impressão!

Herói? Se calhar
Seria pequeno
Inda a começar…
…Uma colher de eno
…meio copo de água
…um sono sereno
Vou deitar a mágoa.

3 comentários:

AM disse...

Não conhecia, por isso obrigado ;)

Mas, nos tempos que se avizinham é de ter cuidado com os poetas e as poesias com as prosas e os prosaicos, ou os Prozacs, ou lá como raio se escreve...

AMNM

Anónimo disse...

Nota-se a mensagem "encriptada", ou será que com poemas nos enganas?

Incoerente disse...

não falta akela parte - do às armas, às armas???