terça-feira, outubro 04, 2005

Pérolas de Rui Rio

O programa de Rui Rio finalmente apareceu. São tantas as pérolas que só a sua leitura integral pode informar da totalidade da sua incompetencia. No entanto, fizemos um pequeno resumo:
(...)Há problemas que se foram agravando, como é o caso da poluição dos cursos de água — especialmente do Douro — e das praias e a que é preciso dar resposta. (ai sim?)

Todos estes instrumentos de acção foram discutidos e retidos no programa que se segue. Há quatro anos, produzimos novecentas páginas de estudos para reter cerca de trinta como programa. Desta vez aconteceu situação parecida, com a diferença de que nos aplicámos no aligeiramento formal da apresentação, para fazer com que o maior número de eleitores leia o programa. Adicionámos, quando adequada, uma menção ao que já foi feito em cada domínio enunciado. (novecentas páginas, situação parecida, aligeiramento formal, maior numero de leitores! Bom lá lata tem!)

Porém, nunca o Porto avançou tanto no combate à exclusão social. (e tão bem!)

O grupo de Saúde e Protecção Social da FEANTSA aconselhou todos os estados membros a “seguir o exemplo do Porto, sublinhando as boas práticas desenvolvidas na luta pela inclusão de todos os cidadãos excluídos”. (sigam a FEANTSA, quem sabe da qui a 4 anos será a FORTUIMDERT!)

Apostámos na requalificação profunda dos bairros mais problemáticos (Bairro S. João de Deus, por exemplo),

O Presidente da Câmara, como provedor da Cidade, irá exigir também do Ministério da Educação que assuma as suas responsabilidades, ao nível das escolas dos 2º e 3º ciclos e secundárias, nomeadamente na decisão final para a instalação do Conservatório de Música do Porto, da sobrelotação da Escola Secundária Artística Soares dos Reis e sobretudo, no avanço do Programa “Rede EDUTEC”, onde as escolas secundárias Fontes Pereira de Melo, Infante D. Henrique e Oliveira Martins estão incluídas desde a primeira hora. (ai vai exigir! Agora, tão cedo!)

Nesse sentido, consideramos muito positivos os resultados alcançados com os projectos “Vamos Nadar”, “Xeque Mate”, “Estrelas vão à Escola”, “Karaté”, “Desporto Fora do Sítio”, “Anda Porto”, “Saltos na Ponte”, “Desporto no Rio”, entre muitos outros, para além dos dedicados
essencialmente aos cidadãos com deficiência. (Sim senhor, grande trabalho!)

Importa recuperar o Futebol Amador na Cidade. Lamentavelmente, a Associação de Futebol do Porto tem perdido, nos últimos anos, muitos clubes desportivos de futebol, por despovoamento do centro e por falta de campos onde os jovens possam praticar desporto. (Ui que belo trabalho dos últimos 4 anos – perguntem aos clubes. Eu joguei em 2)
“Finalmente, deverá ser apoiado o associativismo desportivo, em especial de pequena dimensão” programa de RUI RIO 2001

A Câmara Municipal tem que conceptualizar e implementar um “Contrato de Cidade”, através da Porto Vivo – Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU), que oriente quem gere e quem intervém, que veicule as entidades tutelares, que comunique uma estratégia aos investidores, com vista à verdadeira reabilitação urbana. É isso que nos propomos fazer. (ainda não conceptualizou?)


Isto é possível através da revisão da tipologia da habitação, sem alterar a tipologia arquitectónica. (quem escreveu isto?????????? Não sabe o que quer dizer tipologia)

Reanimar o centro da Cidade passa também por concretizar o projecto “Porto Cidade de Ciência”. (pensei que estava concretizado????)

É, aliás, dentro desta lógica que surgirá a reabilitação do Mercado do Bolhão, a exemplo do que outras grandes cidades europeias já fizeram com os seus mercados de referência, fazendo conviver a sua componente tradicional com uma mais moderna.

Iremos, assim, perseguir com mais insistência o objectivo da transparência e da rapidez na aprovação de projectos que cumpram escrupulosamente as regras do PDM, bem como a restante regulamentação para edificações urbanas e continuar a rejeitar e até a reprovar os que não se coadunem com o ordenamento existente. (Finalmente justificada a saída do Paulo Morais!)

Não é intelectualmente sério anunciar iniciativas pontuais e desgarradas de um plano verdadeiramente assumido pela Cidade.

Chegados à Foz deparamos com um conjunto de praias que fizeram as delícias e trataram a saúde de tantos portuenses e cidadãos do interior e que, lamentavelmente, hoje estão poluídas. Teremos que assumir o seu tratamento em prol da sua qualificação progressiva, para merecerem a “bandeira azul” e serem devolvidas e fruídas intensamente pela população. (olha uma promessa!)

O Metro de superfície, vulgarmente designado por eléctrico rápido, que temos na AMP, constitui,
assim, um projecto decisivo para melhorar a mobilidade no Porto.(COMO?????????)

Eventual alargamento da rede de corredores bus nas áreas de maior oferta; (eventual ou virtual?)

— Implementação da rede de eléctricos históricos através da extensão do seu circuito na Baixa
do Porto, (Restauração, Cordoaria, Universidade do Porto, Hospital de Santo António,
Restauração e que poderá talvez entrar em serviço já este ano), à Praça - R. 31 de Janeiro - Sta.
Catarina - R. de Ceuta - Leões; (ai os carris…)

Ainda no presente mandato e, no âmbito desta iniciativa ligada ao “Porto, Cidade de Ciência”, Hanna Damásio e António Damásio serão homenageados. (a escola de Jorge Sampaio – o aviso de homenagens num programa eleitoral – que dizer?)

Por isso, o futuro da Cidade passa por uma aposta na cultura e por um reforço do sentimento de
cidadania e da integração na comunidade. A cultura tem, assim, de ser factor de desenvolvimento e de coesão social. (atão a calculadora?????)

Este projecto deverá espelhar um conceito de cultura plural, com dinâmicas multiformes e sentidos diversos em que sejam visíveis:
— a qualidade e a inovação das actividades;
— a eficiência da gestão dos equipamentos culturais;
— a capacidade de mobilização de públicos – para além da cultura erudita importa valorizar as
culturas tradicionais em que a Cidade é rica;
— a articulação entre as diversas instituições;
— uma forte estrutura de divulgação, de coordenação e de marketing;
— a vontade de ser um projecto que contribua para a inclusão social.
(sem comentários)

— fazer uma avaliação nos museus municipais, quanto à sua organização e qualidade de prestação de serviços e exigir do Ministério da Cultura uma gestão competente e eficaz do Museu Soares dos Reis, cujo espólio pertence em larga escala à CMP e que hoje tem um fraquíssimo número de visitantes; (xiiiiiiiiii! Que jogo sujo)

Animação de rua e de bairro – não podemos esquecer o carácter festivo, tradicional do Porto e das suas gentes. Vale a pena, por isso, estimular projectos que envolvam a população e que sejam estudados para animar as condições de vivência dos cidadãos, nos espaços de rua e de bairro. (às vezes animam atirando sapatos e tachos nas campanhas eleitorais!)

Manter e melhorar os apoios à Festa de S. João, como festa popular – respeitando o profundo sentimento da Cidade, nesta grande festividade com projecção nacional e internacional. (só se for em Gaia)

— Recuperação efectiva da Ponte D. Maria Pia. (quer dizer que se pode recuperar sem ser de forma efectiva?será como afectiva)

O relançamento do Grande Prémio Histórico do Porto - Circuito da Boavista, mostrou claramente como é possível assumir iniciativas de grande vulto, contar com o empenho de um vasto leque de Portuenses que acreditam no sucesso e na imagem internacional e nacional da Cidade. a iniciativa encheu a Cidade de turistas, nacionais e estrangeiros, mobilizou os Portuenses e a Cidade em geral e foi qualificada como um dos maiores êxitos conseguidos no âmbito de um turismo que se pretende diversificado com enorme reconhecimento internacional.
(presunção e água benta….)

A verdade é que a Autarquia vem praticando uma nova concepção de serviço público, menos verticalizada e dividida, mais assente no diálogo entre serviços e, sobretudo, no diálogo com o Cidadão, razão última e única da sua existência.

Reconhecemos que há um sector fundamental ao desenvolvimento – Serviço de Licenciamentos e Edificações Urbanas – onde esta “revolução” ainda não se fez sentir de forma evidente. O licenciamento é um dos principais problemas do relacionamento da Câmara com o Público.
(a sério? Ninguém reparou…..)

A Câmara Municipal contribuirá activamente para a afirmação do Porto como CAPITAL NACIONAL DA JUVENTUDE, pelo que, para isso, e entre outras iniciativas, realizará anualmente uma iniciativa de grande impacto em que comemorará o Dia Internacional da Juventude. Nessa ocasião, instituirá o “Prémio Anual de Juventude”, através do qual serão premiadas personalidades, instituições ou empresas que mais se tenham destacado no apoio efectivo aos jovens.

4 comentários:

AM disse...

Só me faltava ver o programa para ter a certeza absoluta.
Agora já não falta :D

AMNM

Incoerente disse...

faz me lembrar akelas sopeiras tipicas, ke a Rakel já aki falou

- esta mau muito mau, isto vai de mal a pior ...e voce?
- olhe nos ca vamos insistindo, mas esta muito mau, muito mau

sabem o ke chateia é ke tinham capacidade para mais e contentam-se com isto, com analise e diagnotico

vai mal a saude em Portugal, vai muito mal, todos sabem a doença e nenhum sabe a cura

amanha se tiver tempo vou fazer eu um programa, sim , um com diagnostico (psd) , com humildade (cdu) e com um cheirinho a ficção(ps)

ah esperem... e com arvores, não me posso eskecer das arvores...

Pedro Aroso disse...

Tenho que reconhecer que este programa é uma vergonha e só vem confirmar aquilo que eu já sabia: Rui Rio está muito mal acompanhado e tem sido mal aconselhado.

Pedro Aroso

Teófilo M. disse...

Eu quando vi o programa nem queria acreditar, não é que tanto 'suspense' e aparece isto... e muito mais.

Mas quem irá ler?

A imagem de que é um homem sério e trabalhador passou, será que os portuenses a engoliram?