quinta-feira, abril 07, 2005

Casa da Musica - A polémica!

Sintomáticamente, ou talvez apenas por questões de curiosidade, o SEDE tem sido desafiado, de forma sistemática, a trazer para este espaço, a problemática que envolve a Casa da Musica e o edifício adjacente projectado por Ginestal Machado para o grupo BPN.
Estando o espaço público do Porto na primeira linha das preocupações e das temáticas deste Blogue, não seria compreensivel que uma questão desta natureza, que envolve directamente a gestão autárquica, a arquitectura e o desenho urbano, não tivesse pelo menos um momento de discussão livre e dedicada nestas páginas.
Porém, após abordagem preliminar à polémica, logo se revelaram meandros mais complexos do que as primeiras opiniões, pouco fundamentadas, faziam crer. Logo se encontraram responsabilidades disseminadas, logo se encontraram intenções mal concretizadas.
Ao ponto de Rem Koolhaas vir dizer, em entrevista recente, que a Casa da Musica só foi possivel em Portugal, graças à natureza do seu poder politico (suspeito que não estava a dizer nada de bom).
Assim sendo, está aberta a discussão, doa a quem doer.

8 comentários:

Anónimo disse...

este holandes devia estar a dar musica ... parece querer palco e nada melhor que meia duzia de atoardas cheias de tudo e de nada para atrair as atenções ... para ele somos terceiro mundo ... e ao dar-lhe atenção para alem do que ele merece somos mesmo .
ele não deve conheçer roterdão nem os arrabaldes de noorjwick ... deve ser doutra holanda

Anónimo disse...

Eu não percebo nada de arquitectura, mas que a casa da música impressiona, lá isso impressiona. Não nos deixa indiferentes. Não é esse o objectivo Maior da arte?
Acho que temos que tornar este edifico vivo, muito vivo, com gente que não só ouve música, mas também que a aprende, que a faz, que a Experimenta.
Para além disso espero que a Casa da Música nos traga Jazz, Bom Jazz, e todos outros tipos de música que nos dão prazer e nos fazem experimentar uma outra arte que não pode deixar-nos indiferentes porque também ela é Maior.
Já agora è preciso criar um espaço onde as pessoas se passem a encontrar ( tomar café, jantar, etc...) Porque as pessoas precisam de encontrar-se, conversar mais ao vivo e partilhar afectos, ideias e espaços interessantes.
RS

antónio m.c. laúndes disse...

mas afinal onde tá o problema?
o koolhaas que tanto mal disse, disto e daquilo... da cidade exposta ao ridiculo, da nossa politica(aí tinha razão!!!! nós sabemos que sim, mas é a nossa!), vem hoje dizer que "acredito que se ajustará à casa da música, podendo manter a hamonia entre os dois edifícios),(ver primeiro janeiro de hoje).
a minha pergunta é: será tudo isto interesse pelas questões arquitectónicas ou urbanísticas da cidade do porto, ou foi só o nervossísmo das necessidades de ter que responder a questões de desvario orçamental do seu próprio projecto?(lembrem-se meus caros colegas arquitectos o que seria se uma obra vossa custasse mais 5 vezes o valor orçamentado). A casa da música tá pronta (e não estamos em 2001), tou contente pela obra de arquitectura da qual eu gosto, mas assim não dá!

Anónimo disse...

Caro amigo Laundes (Tó mané pós mais proximos) lembra-te que tb os honorários multiplicaram. Acho que a atitude do Koolhas tem sido de grrd falta de respeito com o portuenses. è preciso alguém que lhe dê ordens. Agora que auilo tá muito bom ai isso ninguém lhe tira. Falta pulso a esta coligação que governa a cidade, faz e fala do que não sabe.

Anónimo disse...

o processo

vamos lá ver como isto foi.



1. concurso para construção da casa da música. plano definido. terreno para casa da música, arruamentos, terrenos restantes para leiloar e ceder a uma outra estrutura(conservatório). Até aqui tudo bem.
2. concurso por convite só a arquitectos estrangeiros, ao gênero de (clube dos portugueses não entrão). OK, vamos pensar pela positiva, foi para na eventualidade de um português ganhar lhe poupar a tristeza de ter que encarar toda esta quetão.
3. Ganhou o Rem Koolhaas. Por mim altamente, eu gosto! Ao que parece a solução inicial tinha mais vidro que esta, cuidado que andam por aí umas pombas cagonas comandadas por um fazedor de opiniões que borram os edifícios de vidro!
4. Mal começou e já estava atrasada. A nossa casa da música passou ao lado da capital europeia da cultura porto 2001. Foi muita pena pois a nossa amiga RS perdeu 5 anos de Jazz.
5. Ainda não ia a meio e o já experiente nestas andanças Polido Valente, põe um processo em tribunal contra a casa da música. Ainda nada foi resolvido. Alerta: "um dia a casa vem abaixo", não me parece mas seria uma pena, ao contrario do mau "Bom Sucesso". "Ah ganda Valente".
6. Leilão para aquisição do terreno localizado "nas traseiras, ou ao lado, ou na outra frente" da casa da música. Arrebatado pela Adicais. Tudo normal, ou pelo menos parece!
7. Entrada na CMP do projecto, plano de Jose Manuel Soares, para sede do BPN elaborado por Ginestal Machado. Tudo normal.
8. Começa o bailarico. Muda a bandeira, sai nuno entra rui, muda plano, muda solução, 1, 2, 3 vezes, com janela, sem janela, tira ao conservatório, dá ao conservatório, a proposta do koolhaas, com multa, sem multa. E a Adicais que não anda cá para ver andar os outros, pensava: "deixa-os pousar".
9. Resultado. Foi deferida uma proposta, no meu ponto de vista, a proposta que a CMP quis. Este filme já vimos.
10. Estourou a bomba. O koolhaas, viu e não gostou, ou não lhe apetecia, ou queria para ele. Então alguém lhe disse: "só há estas são para mim".
11. Então há que aproveitar para dar umas cacetadas (e ele bem merece) no "Tal"! Vieram para a praça "cães e porcos" a dar a sua opinião. E foi então que alguém se lembrou de um programa que estava na moda e quis fazer a versão tripeira da coisa. "já sei vou fazer o big brother aqui na camara." Com rui rio a desempenhar o papel,a meu ver até melhor, de Teresa Guilherme. As outras personagens deixo para a vossa imaginação...
12. Nada feito. A coisa arrastou-se. O processo da Adicais andou para a frente. A casa da música, devagar, mas lá ia. Entretanto rio cada vez mais seco daquela tusa com que começou, inicia a fase dos disparates. Para mim ela começa quando ele chega a camara, mas...!
13. Agora: a Adicais vai construir mesmo, a casa da música vai inaugurar(finalmente), mas ilegal! A CMP tá arrasca porque o desfecho é evidente.
Estes são algumas das coisa que se passaram nos ultimos anos. Nós passavamos lá. Nós vimos. Alguns não gostam, outros gostam.
Meus amigos quem é que teria interesse neste levantar de poeira, agora que a camara tem que fazer aprovar o novo alvará? Imaginem-se numa Rave-party, (cheia de ilegalidades), agora imaginem durante a inauguração termos a casa da música cheia de representantes dos portugueses todos lindinhos a serem empurrados para fora porque o "espetáculo não pode continuar". Era humilhante!
Não deixem que volte a acontecer.

tomanel(pros amigos)

Avelino disse...

To manel... Tou esclarecido, nem uma virgula se acrescente! E agora o edifício faz-se ou não se faz? O janeluco põe-se ou não?
Muito ob pela tua participação, quem melhor que tu para saber o calendário do procesos?

Anónimo disse...

Boa tarde,

sou estudante de arquitectura e estou a fazer erasmus na Bélgica. e Vi este vosso blog critico a falar da casa da música e gostava imenso de perceber o que se passa com aquele terreno baldio que se encontra mesmo ao lado da casa da música. Alguem sabe alguma coisa sobre isso? penso que deve haver uma grande especulação imobiliaria para construir ali... ja há algum plano para aquele sitio?

Obrigada pela ajuda. Joana Martins

Robi.raw disse...

Olá joana Martins, esse terreno baldio pertence à CP, julgo eu...
Era onde se encontrava a antiga estação "Avenida de França" e que me traz muitas saudades.
Eu não faço ideia se a Cp pertence ao estado mas sei que a camara municipal podia dar largas à imaginação e talvez construir lá um skatepark, visto que não existe nenhum no Porto. Talvez assim os turistas tivessem mais sossegados em visitar a Casa da Musica, visto que o único sitio em que os skaters do Porto se sentem em casa.
Agradeço à Casa da musica por nos disponiblizar bons momentos de divertimento, não só pelo seu objetivo inicial mas também pela sua manobra de atração para a práctica de determinados desportos.
Peace! Rui Rio SUCKS!