domingo, abril 17, 2005

O Burmester



Tenho a ideia que esta "cena" caricata de um Presidente vir na inauguração de um grande evento, dizer que um fulano qualquer merecia voltar a ser o que foi, embora tenha sido saneado políticamente e o Presidente nada tenha dito na altura, estava melhor na capital da bananolândia.

No Porto parece haver muita gente esquecida da estória das datas da 2001 (abertura da capital europeia da cultura), da falta à inauguração do Dragão, e do respeito devido a instituições da cidade que ganham prémios em vez de ficarem em segundos. Enfim..., que o mandato acabe bem.
Já agora gostava de o vêr comentar o desrespeito a uma instituição nacional como é o IPPAR.
E que nunca lhe doa a voz!

AO

19 comentários:

Anónimo disse...

Mas ele é pianista ou gestor cultural? Faz lembrar a estória da MAria Elisa em Londres! Pobrezinha não respeitavam aquela doença que só lhe permitia trabalhar um dia por semana!
Ainda estou para descobrir o que o Pinto da Costa viu nela.
Convinha é que a Casa da Música deixa-se de ser o sorvedoro de dinheiro que é!

fortuna disse...

Quem é este artista com cara de Luis de Matos?

AM disse...

A Casa da Música será apenas mais uma sala de espectáculos (neste caso também um ícone da arquitectura), ou um projecto cultural, conforme as opções políticas que venham a ser feitas:
No que se refere a objectivos
No que se refere a programas
Mas, também, no que se refere às pessoas capazes de os encarnar e lhes dar alma.
Pelo que neste projecto demonstrou, ninguém melhor que o Pedro Burmester, em minha opinião, para ser a alma deste projecto.
Não acredito em "cultura" de esquerda ou de direita.
Apenas em Cultura (ou não...).

AM

avelino disse...

Caro António Moreira,
Nada tenho a dizer sobre a capacidade de Burmester. A ele se deve o projecto da casa da musica e até a seleção de arquitectos (que dizem as más linguas foi um concurso pouco concorrido, a não ser que me mostre os desenhos dos outros concorrentes??????)
O papel que ele deve desempenhar é o mesmo que desempenhou e de onde nunca saiu, agora que é lamentavel que o usem com demagogia como arma de arremesso político, muito menos um presidente que tem mais do que se preocupar do que com supostos amigos. Se isso é de baixo nível, então quem fica preocupado sou eu. Se tivesse sido o Santana a dizer o mesmo sobre o Luis Delgado ou assimtoda a gente lhe zuoava em cima (e bem) agora como as pessoas são honradas, os meios justificam-se?

AM disse...

Caro Avelino

Quando referi n”A Baixa do Porto” o baixo nível de comentários, estava a referir-me a um publicado no “Blasfémias”.

Deveria ter escrito “alguns comentários”, por isso, peço aqui as minhas desculpas a si e à SEDE, irei contactar o TAF para me permitir editar o comentário.

Como se deve depreender do meu comentário, nada tenho a comentar quanto à valia da obra em termos arquitectónicos, até porque, nessa matéria (como em muitas outras) sou um leigo, um simples consumidor.

Focando apenas no fulcro da discussão, as declarações do Presidente da República.
O que eu assisti, na TV, foi apenas a uma parte do discurso em que referiu lamentar a falta de alguns que ali deveriam, de direito, estar (naturalmente estou a usar a memória).

Todos perceberam que se referia a Pedro Burmester.

Posteriormente, questionado por uma repórter, admitiu, com clareza, que era a Pedro Burmester que se referia e que entendia (como eu) que o Pedro fazia muita falta ao projecto.

Admito que alguns entendam que, na sua posição de PR, deveria ser mais “cuidadoso”.

Eu, que já não tenho paciência para os jogos florentinos da nossa política partidária, prefiro um PR (ou qualquer outro político) que diga, claramente, o que pensa.

Acho lamentável, isso sim, que tenha vindo hoje (?) referir que está agora a chegar a uma fase em que poderá, finalmente, dizer, sem limitações, tudo aquilo que pensa.

Eu sei que, a política, é mesmo assim.

Mas é mesmo disto que eu não gosto.

Renovo o meu pedido de desculpas

Um abraço
AM

Anónimo disse...

AM
é da chamada "incontinência verbal" que gosta?

Anónimo disse...

E os concursos de entrada para fazer parte dos quadros da casa da música será que estão disponiveis? É que algumas das figurinhas que se passeiam na casa da música parecem-me BEM relacionadas com figuras BEM conhecidas. Enfim, acredito que com a ESPERADA mudança das regras dos concursos públicos as regras toquem a todos. Veremos!

AM disse...

Não
Do que eu gosto mesmo é de responder a comentários de comentários, feitos por anónimos.

AM

Avelino disse...

Caro AM,
realmente interpretei mal a sua referência no TAF, embora não haja pedido de desculpas a fazer. A vantagem da net é exactamente isso, as discussões distantes mas acesas de pontos de vistas às vezes diferentes, às vezes convergentes.
Na verdade, em muitos aspectos não sou um grande admirador do nosso presidente, nomeadamente quando vem com moralismos posteriores aos actos, como neste caso, ou nos inumeros puxões de orelhas que dá a pedido da comunicação social.
Repare-se que o presidente Sampaio nunca consegue ser um elemento de convergência entre partidos ou temas, mas antes alguém (que como advogado que é) actua à posteriori.
Também o acho como o fundador da ala mais centralista do PS.
Finalmente dizer-lhe que concordo com o que disse sobre a Casa da Música, sobre a importância de programas, objectivos e intervenientes. Já agora que estimulem uma divulgação culturalmente intrinseca à nossa região, ou seja promover (à imagem da Catalunha)muito do que é nosso.
Portanto, força nas críticas, que eu se calhar Às vezes tb mereço.

AM disse...

Caro Avelino

Já está corrigido n"A Baixa..." :-)
Quanto a comentários/críticas, ao menos enquanto repenso o meu "Provotar", esteja descansado que, quando me parecer que devo, não vão faltar :-)

Um abraço
AM

Cristina Santos disse...

Tou totalmente de acordo com o V. blog, no minimo foi despropositada a forma do discurso, foi demasiado directo, personalizado e não houve justificação perante os Portugueses - independetemente do Burmester ser um excelente musico, um elemento que devemos incetivar na nossa cultura urbana, priveligiar, dar destaque, o cometario de J. S. pecou pelo excesso, para mal dos nosso pecados foram as unicas palavras ke tiveram difusão nos média.
Mas José Socrates saiu benefeciado com este erro, ... (bem mas há ou não conspiração partidaria, isto já é piada)... penso ke o Presidente estavam tentando utilizar o valor de Burmester para limpar a imagem socialista da Porto 2001 - é um aproveitador, na medida em ke possivelmente o nosso Pianista nem sequer é socialista... o J.S. utilizou uma mais valia ke não lhe pertence , usou a forma pessoal , indiscreta com o unico pretexto de mudar a imagem do porto 2001.
Desculpem, mas este Blog tem mt qualidade , não é um blog socialista partidario pois não?

AM disse...

"Desculpem, mas este Blog tem mt qualidade , não é um blog socialista partidario pois não?"

Não vá eu apanhar qualquer doença....

:D :D :D :D :D

(Desculpem lá se foi de mau gosto, mas isto estava mesmo a pedir uma laracha, (desta nem eu me lembrava))
AM

Cristina Santos disse...

«:D :D :D :D :D»

De que riu voce - da qualidade ou do socialismo? O que é que voce não se consegui lembrar - dos socialista, ou da qualidade de um blog?
.... faça um esforço anime-se e informe me por favor: trata-se de um Blog socialista, na forma civil ou no contexto de apoio partidario?

AM disse...

Cara Cristina

Peço imensa desculpa se a melindrei, mas foi a tal "criança que existe dentro de nós" que escreveu, por mim, o comentário.
Do que me ri (e do que nem eu me conseguia lembrar) foi da sua pergunta/preocupação :-)
Consigo ver a qualidade e, quanto ao ser "socialista" é assumido pelos autores.
Quanto ao restante da sua pergunta, não lhe posso, naturalmente, responder, dado ser apenas um comentador (António Moreira), como a Cristina.

Peço, novamente desculpas.
(bolas que já se está a tornar um hábito) :)

AM

Cristina Santos disse...

Oh Antonio Moreira, não tava reconhece-lo, eu percebi a piada e até me ri bastante, mas como sabe eu kero um partido que tenha as doenças de todos os partidos, as melhores doenças alias, e um doença geral, nem de esquerda , nem à direita, nem ao centro, um doença dos pés à cabeça.
Não... eu tinha duvidas, que o nome, fosse realmente sinonimo, de Partido socialista, e ainda não sei, contudo é um bom blog, qt a doenças ou epidemias, não é por isso , é so mesmo para reconhecer a origem do surto, ...
ate sempre-
um abraço completamente imune

AM disse...

Se qualidade é doença, então estamos de acordo :-)

AM

SEDE disse...

Bom em nome do Sede devo dizer que este blog é mesmo partidário, ou seja, achamos que afinal é capaz de, de vez em quando, de vez em quando mesmo, encontrar malta dos partidos que pensa como a malta de fora dos partidos. É que nem todos os militantes são tachistas, politicos demagogos, ausentes e genericamente incultos.
Portanto, a contaminar alguém que seja de fora para dentro e não o contrário. Ou seja os partidos estão deficitários de discussão e de reflexão.
No entanto, alguns dos sedentos são estruturalmente socialistas mas não partidários ou militantes, como é o caso por exemplo da Raquel e do Eduardo.

Avelino

Cristina disse...

anda a tentar convence-los, já percebi.
eu só reparei no nome à posterior ... de qualquer das formas a visão é bem consensual, critica e realista. por isso fiquei na duvida.
Partidarismos à parte -parabens, está optimo.

Avelino disse...

Ok ob!