quarta-feira, abril 20, 2005

Organismos Geneticamente Modificados

A propósito de uma manifestação à porta da Gulbenkian CONTRA os organismos geneticamente modificados.

Vale a pena conhecer alguns prós e contra e procurar saber mais e ter espírito aberto!

Ciclo de Conferências Fórum Gulbenkian de Saúde - 8º Ciclo
10h00
Qualidade e segurança alimentar: os organismos geneticamente modificados, os protestos pelo direito à saúde e os contaminantes dos alimentos

Preparamos este pequeno resumo apenas para “Abrir o apetite”.

Os Prós e Contras dos Organismos “geneticamente modificados”

O que é um organismo geneticamente modificado?

É um organismo obtido após introdução de material genético de outra espécie, ou após modificação da sua linhagem genética por manipulação do seu próprio material genético, de uma forma que não acontece naturalmente.

Prós:

· Sector agro-alimentar: Melhor rendimento. Melhor adaptabilidade às condições climáticas (frio intenso, calor extremo), ao terreno (pobreza de água ou de sais minerais). Maior resistência aos agentes infestantes. Tendo em conta, que se espera em 2020 mais de 800 milhões de pessoas de Países do Terceiro Mundo estarão em condições de extrema pobreza e irremediavelmente com fome, espera-se que medidas como estas se BEM conduzidas levem a que haja uma modificação CLARA deste processo.

· Ambiental: Ao criar plantas mais resistentes a infestações e com maior adaptabilidade às condições ambientais isto leve à redução da utilização de pesticidas e fertilizantes durante a sua cultura.

· Saúde: Anteriormente a insulina era isolada de extracto porcino. Este processo podia ser veiculo de transmissão de infecções. Quem não se lembra do problema da BSE com as vacas loucas? Agora a insulina é produzida por métodos de engenharia genética. A insulina humana é produzida por bactérias onde foi introduzido o gene da insulina humana produzindo assim as proteínas que posteriormente são extraídas e purificadas. Estes derivados evitam transmissão de infecções para além da melhor rentabilidade económica. Isto passa-se não só com a insulina mas com outras proteínas que podem ser deficitárias em muitas doenças.

Contras:

· Diminuição da variabilidade genética. Os organismos modificados são todos descendentes de um organismo único. Isto é um problema que se pode reflectir numa menor capacidade de adaptação a novas condições naturais ainda desconhecidas.

· Resistências a antibióticos. No processo de modificação genética utiliza-se sempre DNA estranho que contém genes de resistência a antibióticos. Este processo pode indirectamente causar um aumento de resistência aos mesmos antibióticos em particular quando estes são usados ao nível veterinário.

· Alergias e toxicidade que as plantas geneticamente modificadas podem exercer no contacto com a Fauna.

Caso queira pesquisar agora este é um bom site:

3 comentários:

Soares disse...

Sinceramente acho que o tema está abordado pela superficie.
Qd se houve falar de café e milho transgénico nos paises 3 mundistas, ou na forma como os americanos manipulam determinados bens essenciais com simples intuitos económicos, isso é muito complicado.
A bem da ciência a coisa não se põe entre vantagens e desvantagens, é um problema mais vasto ee com reflexos bem mais perigosos.

Anónimo disse...

Caro Soares
tal como está claramente dito no texto só se listou alguns dos tópicos que são normalmente discutidos quando se aborda este problema. E propuzemos um site onde pode colher mais informações e medidas tomadas pela UE. Qualquer outra informação teremos muito gosto em discuti-la consigo.
RS e GS

Anónimo disse...

Querida!!
O site que vcs colocaram a disposição para maior esclarecimento esta todo e m inglês. por indiquem outro site.
Obrigado